Versão Beta

Cerca

Vatican News
2018.07.05 Paolo Ruffini Papa Francisco com Paolo Ruffini, novo Prefeito do Discastério para a Comunicação da Santa Sé  (Vatican Media)

Ruffini: reforma da mídia vaticana continua no espírito de serviço à Igreja

Entrevista com Paolo Ruffini, nomeado pelo Papa Francisco prefeito do Dicastério para a Comunicação da Santa Sé

Cidade do Vaticano

A nomeação do jornalista Paolo Ruffini como prefeito do Dicastério para a Comunicação da Santa Sé causou grande eco. Jornalista experiente, Ruffini é o primeiro leigo a guiar um dicastério vaticano.

Nesta entrevista ao Vatican News, a primeira após a sua nomeação, o novo prefeito fala sobre esta escolha do Papa Francisco.

A sua nomeação causou grande surpresa, a primeira vez para um leigo, casado, à frente de um dicastério da Cúria Romana. O que isso representa para o senhor?

Ruffini: “Fui o primeiro a ser surpreendido pelo chamado do Papa. Como eu disse, estou plenamente consciente de que uma tarefa tão grande é também a medida e admoestação constante de minha pequenez pessoal, que somente pode confiar na Graça de Deus. Quando na conclusão do Jubileu – junto com Lucio Brunelli - entrevistei o Santo Padre, lembro-me de sua resposta à nossa pergunta sobre a Igreja: “A Igreja como instituição nós a fazemos, cada um de nós. Nós somos a comunidade”. Era e é também um chamado aos leigos, para que não se esquivam de suas responsabilidades, ao seu ser Igreja, e aos papéis que na vida a Igreja pode nos pedir para desempenhar. Acredito que é isso que o Papa pede a cada um de nós e me pediu neste caso. Um chamado que só pode ser respondido confiando, como diz São Paulo, pois é na fraqueza que a força se manifesta plenamente.”

Que balanço faz em relação aos anos na TV2000 e na Rádio InBlu?

Ruffini: “Os balanços não fotografam bem as coisas vivas, que se movem, caminham. Os anos na TV2000 e na InBlu foram para mim uma caminhada bonita, emocionante, feita com pessoas extraordinárias. Mas não é um caminho que se interrompe. É um processo que certamente continuará. Há uma necessidade crescente de partilhar o bem num mundo onde a comunicação é muitas vezes baseada no que não é belo.”

O senhor será o responsável pela conclusão da reforma da comunicação vaticana encaminhada pelo Papa com o Motu próprio de 27 de junho 2015…

Ruffini: "As reformas nunca são feitas por uma só pessoa. Não são – como escreveu o Papa – um problema de organogramas, mas a aquisição de um espírito de serviço. As reformas são uma caminhada em conjunto que requer escuta, inclusão e participação de todos. Para isso é necessária a disponibilidade à mudanças. E a consciência de quanto é importante e belo o conteúdo que comunicamos aos homens e às mulheres do nosso tempo. Este é o desafio ao qual a Igreja nos chama. Esta é a estrada que todos devemos tomar, eu por primeiro, ir adiante. Como disse o Papa, não precisa ter medo desta palavra, reforma. Reforma 'não quer dizer ‘caiar’ um pouco as coisas: reforma significa organizá-las de outro modo'. E isso é o que o Papa nos pede".

Ouça e compartilhe

 

05 julho 2018, 20:52