Versão Beta

Cerca

Vatican News
Papa Francisco e patriarcas no encontro ecumênico de oração pela paz no Oriente Médio, realizado em Bari Papa Francisco e patriarcas no encontro ecumênico de oração pela paz no Oriente Médio, realizado em Bari  (ANSA)

Encontro ecumênico em Bari: cardeal Koch, devemos continuar

“Em Bari, emergiu o ecumenismo da vida, da convivência e sobretudo da colaboração, na ajuda recíproca", disse o presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos, cardeal Kurt Koch.

Cidade do Vaticano

“Devemos continuar. Estes encontros são importantes para apoiar, fortalecer esta Região e ajudar todos os patriarcas e Igrejas. Estou muito feliz.”

Foi o que disse o presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos, cardeal Kurt Koch, a propósito do encontro ecumênico de oração pela paz realizado no último sábado (07/07), em Bari, sul da Itália, que contou com a participação do  Papa Francisco e de líderes das Igrejas e comunidades cristãs do Oriente Médio.

“A mensagem do Santo Padre foi muito forte e marcou uma bonita conclusão, na troca de ideias e propostas que fizeram todos os patriarcas e seus representantes”, disse ainda o purpurado segundo a Agência Sir.

“Em Bari, emergiu o ecumenismo da vida, da convivência e sobretudo da colaboração, na ajuda recíproca. O ecumenismo da santidade porque tudo depende da vontade de Deus, de buscar a sua vontade que é a paz e a fraternidade. Enfim, emergiu  o ecumenismo do martírio. O martírio branco pelo testemunho, mas também o martírio vermelho pelo sangue derramado dos cristãos”, frisou ainda o cardeal Koch.

Fazendo um balanço do dia, o responsável do dicastério vaticano para o ecumenismo disse que “são muitos os sinais e as imagens que permanecerão. Penso no abraço da paz durante a oração e quando soltaram as pombas ao céu como sinal de uma mensagem de paz e justiça para esta região”.

O cardeal revelou alguns detalhes da conversa realizada a portas fechadas na Basílica de São Nicolau. “Foi aberta por uma introdução substancial e importante de 45 minutos feita por dom Pierbattista Pizzaballa e depois todos puderam conversar. Todos falaram e deram sua contribuição”. O Papa também falou, dizendo que  “acima de tudo nós pastores devemos estar perto das pessoas, apoiá-las e dar força. Uma ideia muito importante para ele”.

Quanto às perspectivas futuras que podem ser abertas, o cardeal invoca o poder do Espírito Santo, que “ajuda e trabalha nos corações dos seres humanos”. E acrescentou: “Acredito que a solidariedade para com o Oriente Médio pode ser aprofundada”.

Bari também lançou uma mensagem política para os líderes da terra para que “deixem esta região e não façam guerras”. O Santo Padre disse que não é possível falar de paz quando se promove o armamento. As armas destroem tudo e os poderosos têm seus interesses e não os interesses dos povos do Oriente Médio. Esta foi uma mensagem muito forte”.

“Todos os patriarcas concordaram”, concluiu o cardeal Koch, “ficaram felizes com o discurso do Santo Padre e agradecidos”.

Ouça a reportagem
09 julho 2018, 11:36