Cerca

Vatican News

Os pobres do Papa Francisco no Golden Gala de atletismo

Duzentas pessoas pobres, sem-teto, idosos, com necessidades especiais, refugiados e migrantes, assistidos pela Esmolaria Apostólica, pela Cooperativa Auxilium e pela Comunidade de Santo Egidio, assistiram no Estádio Olímpico de Roma ao Golden Gala de atletismo, convidados pelo Papa Francisco e pela Federação Italiana de Atletismo

Alessandro Di Bussolo - Cidade do Vaticano

Atletas de todo o mundo que competiam no Estádio Olímpico em Roma pelo Golden Gala “Pietro Mennea”, tiveram um público diferente este ano: duzentas pessoas pobres, sem abrigo, idosos, com necessidades especiais, refugiados e migrantes, a convite do Papa Francisco e da Federação Italiana de Atletismo.

Depois de duas noites no circo, a visita aos Museus Vaticanos e a pizza para todos no átrio da Sala Paulo VI, foi a vez de assistir a uma competição mundial de atletismo. A iniciativa foi da Esmolaria Apostólica, que tem à frente o arcebispo Konrad Krajewski, que será criado cardeal no Consistório de 28 de junho.

Todos assistindo os velocistas Coleman, Tortu e Trost

 

O velocista estadunidense Christian Coleman, muito religioso e muito emocionado no encontro de quarta-feira com o Papa Francisco e os velocistas italianos Filippo Tortu e Alessia Trost, competiram diante de Mohamed, 14 anos de idade, de Damasco, fugido da Síria em chamas há um ano e hoje assistido no Centro de acolhida “Mundo Melhor”, em Rocca di Papa, administrado pela cooperativa Auxilium.

Ao lado dele, na Curva Sul, Ivan, com necessidades especiais e morador em uma casa de família, e Babatoré, migrante nigeriano de Cara di Castelnuovo di Porto, visitado pelo Papa em 2016.

Entre os torcedores,  também estavam os idosos da Comunidade de Santo Egídio e os sem-teto assistidos pela Esmolaria Apostólica, acompanhados por alguns dos corredores da Athletica Vaticana, a equipe de esportes de funcionários da Santa Sé, com suas famílias.

Uma noite de festa e amizade em nome do exporte

 

Uma noite de celebração e amizade, como havia previsto o arcebispo Krajewski, vivida na beleza de um esporte universal e simples como o atletismo.

"Várias vezes o Papa Francisco recordou que os pobres têm necessidade não só de alimentos, de roupas e de um lugar para dormir – recorda aos microfones do Vatican News Giampaolo Mattei, da Athletica Vaticana -, mas também uma palavra amiga, de um sorriso e de oportunidades de lazer e de uma diversão saudável".

Os "pobres do Papa", italianos juntamente com migrantes refugiados sírios, paquistaneses, nigerianos, malianos, gambianos, senegaleses, eritreus, egípcios e marfinenses,  também receberam no Estádio Olimpico no final da noite um jantar embalado.

 

Photogallery

Golden Gala de Atletismo no Estádio Olímpico, Roma
01 junho 2018, 11:51