Versão Beta

Cerca

Vatican News
Migrantes a bordo do navio "Aquarius" Migrantes a bordo do navio "Aquarius"   (AFP or licensors)

Michel Roy, Caritas: atacar os migrantes não resolve o problema

Num momento em que se agravam as políticas migratórias em vários países europeus e não só, está para iniciar a “Semana de Ação Global” da campanha “Compartilhe a viagem”, promovida pela Caritas Internacional.

Cidade do Vaticano

A comunidade internacional acompanha com apreensão a situação dos 629 migrantes a bordo do navio "Aquarius" ao qual as autoridades da Itália e Malta negaram a autorização para atracar.

Num momento em que se agravam as políticas migratórias em vários países europeus e não só, está para iniciar a “Semana de Ação Global” da campanha “Compartilhe a viagem”, promovida pela Caritas Internacional.

A iniciativa programada de 17 a 24 deste mês de junho, pretende ser uma ocasião para dar um testemunho concreto de solidariedade aos migrantes.

A “Semana de Ação Global” se destacará pela partilha de alimento, nos refeitórios da Caritas, nas paróquias e não só, com migrantes e refugiados.  A campanha foi iniciada pelo Papa Francisco em 27 de setembro do ano passado.

“Convidamos todos vocês a se sentarem com os migrantes e refugiados em suas comunidades, a olhá-los nos olhos, ouvir suas histórias e contar também as suas”, disse o presidente da Caritas Internacional, cardeal  Luis Antonio Tagle.

Para conhecer os objetivos desta iniciativa, o Vatican News entrevistou o secretário-geral da Caritas Internacional, Michel Roy.

Michel Roy: “A Semana de Ação Global se realiza com referência ao Dia Mundial do Refugiado, celebrado em 20 de junho, para reforçar este movimento destinado a encontrar os migrantes. O Papa Francisco nos pediu para cultivar a “cultura do encontro”. Com a campanha “Compartilhe a viagem” queremos dizer, em primeiro lugar, que os migrantes são pessoas. Em segundo, que são pessoas que sofreram muito e sofrem ainda e precisam encontrar pessoas com olhos, mentes e corações abertos. Estamos organizando a “Semana de Ação Global” em torno do tema da refeição, comer juntos. Partilhar uma refeição é uma oportunidade bonita: uma refeição pode ser preparada juntos e existe a possibilidade de dialogar, debater e ouvir mais as histórias das pessoas.”

“ Abram as portas, abram as mentes e os corações. Os migrantes não partem para fazer turismo. ”

Cada vez mais os Governos em muitos países estão restringindo as políticas de migração. Uma campanha como “Compartilhe a viagem” o que pretende dizer a esses líderes políticos?

Michel Roy: “Que atacar os migrantes é uma “solução” simples, mas não é a solução verdadeira dos problemas. Existem problemas criados pela globalização, mas os migrantes são as consequências diretas desses problemas. Se mudam porque não podem mais viver em suas casas! São migrações forçadas: não partem para fazer turismo. Os migrantes não podem ser considerados pessoas que têm culpa desses problemas: é o contrário! O que pedimos com essa campanha é: “Por favor, abram as portas e abram as mentes e os corações”. Aos políticos pedimos para não “usarem” os migrantes como se fossem problemas. Pedimos aos políticos para incentivarem políticas de acolhimento que sejam humanas. Pedimos também para que trabalhem para a resolução dos problemas que fazem com que as pessoas fujam de suas terras.”

“Compartilhe a viagem” quer ajudar as pessoas a não terem medo dos migrantes...

Michel Roy: “Exatamente! Sabemos que fazer uma refeição juntos é uma ocasião de encontro. Assim, muda a visão. Isso é fundamental hoje: todos nós precisamos de uma sociedade mais humana e não desumana. Não devemos recusar humanidade a essas pessoas que vêm. A ocasião para organizar uma refeição, e cada um pode fazer isso, é muito importante: criar oportunidade de encontrar as pessoas, que causam medo em muita gente, quando na verdade são eles a terem muito medo.”

11 junho 2018, 16:31