Versão Beta

Cerca

Vatican News
Corredor na Biblioteca Vaticana Corredor na Biblioteca Vaticana 

EUA devolverá carta de Colombo roubada da Biblioteca Apostólica

Não se sabe exatamente quando nem como foi roubada a carta escrita por Cristóvão Colombo em 1493, e substituída por uma cópia. Agentes estadunidenses descobriram que o original estava com Robert Parsons, um colecionador de antiguidades, em Atlanta (EUA).

Cidade do Vaticano

A embaixadora dos Estados Unidos junto à Santa Sé, Callista L. Gingrich, devolverá ao Vaticano uma cópia impressa de uma carta escrita à mão por Cristóvão Colombo em 1493, na qual relatava aos reis católicos a descoberta do "Novo Mundo", e que havia sido roubada da Biblioteca do Vaticano .

A carta será entregue ao arcebispo Jean Louis-Bruguès O.P., arquivista da Biblioteca Vaticana e ao prefeito da Biblioteca Apostólica, Mons. Cesare Pasini, em cerimônia a ser realizada na Livraria do Vaticano no final da manhã desta quinta-feira, 14 de junho.

A carta - conhecida como "A Epistola Christofori Colom" nos catálogos do Vaticano – tem em suas quatro páginas o relato para o mundo sobre a sensacional descoberta. A carta foi traduzida para o latim e várias cópias foram feitas e distribuídas em toda a Europa, mas muito poucas sobreviveram às vicissitudes do tempo.

Em 2011, o Depto de Investigações de Segurança Nacional (HSI, em inglês), foi contactado por um especialista em livros e manuscritos raros, que acreditava que a Carta de Colombo na coleção do Vaticano era uma falsificação.

Depois de notificar as autoridades vaticanas sobre o possível roubo, funcionários de outro Departamento - o de Segurança Nacional dos EUA - coordenaram a análise da carta feita por especialistas no assunto, incluindo experts da Universidade de Princeton. A falsificação do documento foi confirmada.

Não se sabe exatamente quando, nem como, foi roubada a carta que foi substituída por uma cópia, mas os agentes estadunidenses descobriram que o original estava com Robert Parsons, um colecionador de antiguidades, em Atlanta (EUA). Ele havia comprado o documento de  um vendedor de livros raros em Nova York por US $ 875.000 em 2004, sem saber que ele havia sido roubado do Vaticano.

Depois de apresentar provas de que havia sido roubada, a viúva de Parsons concordou em renunciar voluntariamente à propriedade da carta, ceder todos os direitos e devolvê-la ao Vaticano.

O HSI recuperou e devolveu outras três Cartas de Colombo como parte de suas investigações em andamento sobre a venda ilícita de livros e manuscritos roubados.

Além da carta de Colombo do Vaticano, o HSI confiscou e devolveu as Cartas de colombo que pertencem à Biblioteca Riccardiana de Florença (Itália), e à Biblioteca da Catalunha, em Barcelona.

13 junho 2018, 15:08