Versão Beta

Cerca

VaticanNews
Aperto de mão histórico em Singapura Aperto de mão histórico em Singapura  (AFP or licensors)

Encontro em Singapura: evento histórico de paz, diz Dom Xuereb

O núncio na Coreia, Dom Alfred Xuereb, comenta ao Vaticano News o histórico encontro em Singapura entre os presidentes dos EUA Donald Trump e de Coreia do Norte, Kim Jong-un.

Alessandro Gisotti - Cidade do Vaticano

Um evento histórico, inimaginável até poucos meses atrás. Um encontro de paz pelo qual a Igreja coreana rezou incessantemente. O encontro de cúpula em Singapura entre o presidente dos Estados Unidos Donald Trump, e o líder norte-coreano Kim Jong-un, foi acolhido com particular satisfação pelo núncio em Seul, o arcebispo Alfred Xuereb, que faz uma avaliação deste dia histórico ao VaticanNews:

Dom Xuereb, o mundo inteiro está olhando para este evento, que até pouco tempo atrás, parecia algo realmente inimaginável. Qual é o seu comentário, a sua emoção para um evento tão importante para toda a Coreia?

R. - Você pode imaginar com quanta apreensão o povo coreano e a Igreja aqui na Coreia vivem esses momentos verdadeiramente históricos. Hoje foi escrita uma página muito importante que marca o início de uma jornada ainda longa e árdua, mas temos esperanças, porque o começo foi muito positivo, muito bom. Passamos das palavras fortes, como "fogo e fúria", "devastação completa" da Coreia do Norte, para palavras de distensão, que falam de paz, de relacionamentos baseados em concórdia, por isso estamos realmente cheios de esperança e confiança. A Igreja está vivendo este momento com grande fé. Como todos já sabem, toda terça-feira na Catedral da cidade de Seul há um momento de oração. Eu, como núncio, participo juntamente com os fiéis. Estamos confiantes de que a Mãe Celestial, a quem a Catedral é dedicada, não deixará de ouvir a oração sincera deste povo.

 

Também existe outra emoção especial, porque o senhor assumiu como núncio na Coreia há poucas semanas. É a alegria de um evento aguardado por décadas por toda a população da Coreia ...

R. - Nos dias da minha nomeação como núncio na Coréia e na Mongólia houve grandes tensões. Em vez disso, com o passar do tempo, vimos uma mudança de clima, que agora é muito bom. É muito bonita a iniciativa dos bispos coreanos de fazer uma novena, uma oração entre 17 e 25 de junho, todos os dias, com uma diferente intenção de oração. E de forma particular me tocaram duas orações: uma é pelos políticos da Coreia do Sul e do Norte, outra, que diz muito respeito a nós, é pela evangelização do Norte. Agora é precisamente a minha missão como núncio: a Santa Sé quer apoiar qualquer possível iniciativa em favor do diálogo e da reconciliação, aproveitando também para levar a boa notícia do Senhor Jesus, que é Senhor de todos!

Abre-se, portanto, um novo espaço de evangelização além daquele da paz, outro fruto destes dias...

R. – Obviamente, o processo - como eu dizia - ainda está no começo, mas a nossa esperança é esta: permitir ao povo da Coreia do Norte não apenas desfrutar da prosperidade, de benefícios econômicos, mas em particular de se beneficiar da vida espiritual, da fé , que dá um pouco o tom a tudo que você vive mais tarde.
 

Dom Xuereb fala sobre esse encontro histórico
12 junho 2018, 13:12