Versão Beta

Cerca

Vatican News
Viagem apostólica a Portugal, 13 de maio de 1967 em Fátima Viagem apostólica a Portugal, 13 de maio de 1967 em Fátima  (@L'Osservatore Romano)

Cardeal Parolin sobre o Papa Paulo VI: "figura luminosa" e "atual"

Paulo VI “alarga o olhar e o coração a todos os ângulos do mundo”, institui o Dia Mundial da Paz, reforma nesta mesma direção a diplomacia vaticana e escreve a “Populorum progressio” do “desenvolvimento novo nome da paz”, destacou o Cardeal Pietro Parolin.

Cidade do Vaticano

“A atualidade da figura de Paulo VI a encontramos também nas contínuas referências” que “o Papa Francisco faz em suas palavras” recorrendo ao magistério do Papa Montini (Giovanni Battista Montini era seu nome da batismo, ndr); “é um Evangelho que fala ao nosso tempo” e “a toda a humanidade”. Foi o que disse o secretário de Estado vaticano, Cardeal Pietro Parolin, em seu pronunciamento no Simpósio “Paulo VI e o Evangelho no mundo contemporâneo”, em andamento até esta quinta-feira (10/05) na Universidade Católica de Milão.

Paulo VI e o Evangelho da paz

“Evangelho e paz são dois termos inseparavelmente ligados entre si” no ministério de Montini. O purpurado evocou as várias “estações” do empenho de Paulo VI no esforço do “Evangelho da paz”, a partir de seu papel na secretaria de Estado da Santa Sé até a eleição à Cátedra de Pedro. Por conseguinte, no Concílio e na primeira fase de sua implementação.

Igreja perita em humanidade, que indica a centralidade do homem e da paz

Nesse sentido, afirmou o Cardeal Parolin, a Igreja de Giovanni Battista Montini é uma Igreja que “sai de si mesma para encontrar a história”, “perita em humanidade”, que “indica a centralidade do homem e da paz”.

Segundo o secretário de Estado vaticano, Paulo VI intuiu o processo de globalização, um “mundo sempre mais complexo” que exige o papel dos “construtores de paz”, a “colaboração entre as nações” e o “diálogo entre diferentes credos”.

Paz como única verdadeira linha do progresso humano

Montini, Pontífice que leva a cumprimento o Concílio, que inaugura as viagens pelo mundo começando por Jerusalém, que visita as Nações Unidas e ressalta o valor da “paz como única verdadeira linha do progresso humano”.

Paulo VI “alarga o olhar e o coração a todos os ângulos do mundo”, institui o Dia Mundial da Paz, reforma nesta mesma direção a diplomacia vaticana e escreve a “Populorum progressio” do “desenvolvimento novo nome da paz”.

Papa Montini: palavras de esperança cristã e de otimismo humano

Para o Cardeal Parolin o diálogo inter-religioso, o ecumenismo, a defesa da dignidade da vida, os chamados à justiça social e internacional são ulteriores elementos do magistério do Papa Montini que, por fim, “soube levar ao mundo palavras de esperança cristã e de otimismo humano”.

O purpurado recordou ter “encontrado uma só vez o Papa Paulo VI, em 1966, com uma peregrinação da Ação Católica de sua diocese a Roma. “Para mim Montini sempre foi uma figura luminosa, a cujo magistério me inspirei muitas vezes em meu serviço eclesial”, reconheceu o secretário de Estado vaticano.

09 maio 2018, 20:20