Versão Beta

Cerca

Vatican News

Juízo Universal: estréia o show ao vivo sobre Michelangelo

Esta quinta-feira estreia no "Auditorium Conciliazione", em Roma, o espetáculo “Giudizio Universale. Michelangelo and the secrets of the Sistine Chapel”. Na coletiva de imprensa no Foyer do Auditorium esta segunda-feira, o prefeito da SPC ,Mons. Viganò, afirmou ser este um espetáculo extraordinário que intuiu e antecipou uma grande novidade dentro da indústria cultural.

Cecilia Seppia - Cidade do Vaticano

 

Na Roma dos imperadores e dos Papas, na cidade da grande e eterna beleza, estreia no dia 15 de março uma extraordinária experiência estética, emotiva e espiritual, para adultos e crianças. É o show ao vivo, assinado por Marco Balich, “Giudizio Universale. Michelangelo and the secrets of the Sistine Chapel”, apresentado nesta segunda-feira no Foyer do ‘Auditorium Conciliazione’.

Protagonista, é a Capela do século XV, com seus afrescos do “sumo pintor”, dedicada a Maria Assunta ao Céu, local do Conclave, inspiração de artistas, escritores e maestros, e que hoje vive de nova arte em uma nova forma.

Tecnologias inovadoras

 

O mérito deve ser dado às tecnologias digitais capazes de conduzir o expectador para dentro da criação com efeitos especiais, projeções em 4k, live-performances por 60 minutos de narrativa, divididos em 4 capítulos.

É um sonho que se realiza, afirma Balich, diretor de grandes espetáculos e de jogos olímpicos, orgulhoso de deparar-se pela primeira vez com uma obra-prima inteiramente italiana.

“Na minha experiência de produtor e criador de Olimpíadas e de espetáculos olímpicos – disse o autor – vou sempre nestes lugares em todo o mundo, Turcomenistão, China, Brasil, Sochi, Rússia, mas eu amo a Itália e tenho o desejo de fazer algo pela Itália e sobretudo quero deixar os nossos jovens orgulhosos das maravilhas que temos e quero fazer isto com a linguagem tecnológica que aprendemos a usar com as cerimônias olímpicas”.

Primeiro espetáculo de Artainment

 

As notas e o tema original escritos por Sting, grande conhecedor da música do renascimento, mas também do pop e do rock, a habilidade e a criatividade dos experts de videogames, a consultoria científica dos Museus Vaticanos e obviamente os afrescos de Michelangelo, permitiram realizar o show onde se fundem e se entrelaçam diversas linguagens e expressões artísticas, dando vida ao primeiro espetáculo no mundo de Artainment.

Arte e entretenimento para educar e divertir, para chegar a realizar, como sustenta Mons. Dario Viganò, prefeito da Secretaria para a Comunicação, o pleno e harmonioso desenvolvimento da pessoa humana.

“É um evento novo, único no gênero, diz Viganò. Por detrás do espetáculo que se assiste, existe um nível de profissionalismo altíssimo, feito de cenógrafos, coreógrafos, técnicos, engenheiros das luzes e do som. O trabalho destes profissionais devem ser associados às imagens que envolveram o expectador em chave de imersão”.

O verdadeiro desafio em que o show se insere – prossegue o prefeito – é a divulgação e o conhecimento da arte, quer nas grades de programação televisivas, quer nas produções cinematográficas, como nunca ocorreu antes. Produções que contaram na linha de frente com a forte colaboração da Santa Sé, entre o Vatican Media e os Museus Vaticanos.

A contribuição dos Museus Vaticanos

 

Juízo Universal poderá ser assistido a partir da próxima quinta-feira no “Auditorium Conciliazione” (na Via da Conciliação), duas vezes ao dia, por pelo menos um ano, mas o objetivo é de fazer dele um espetáculo fixo.

O estudo e a pesquisa existentes por detrás deste show foram enormes, explica a diretora dos Museus Vaticanos, Barbara Jatta, que colocou à disposição os especialistas para recriar os afrescos da Capela Sistina, para entrar nos tormentos de Michelangelo e na sua relação antes com Júlio II e depois com Clemente VII, até descobrir a obra-prima do artista nos segredos do Conclave. Estações fundamentais para uma viagem de 9 milhões de euros, capaz de conjugar tradição e inovação.

Pierfrancesco Favino faz a voz de Michelangelo

 

“Acredito profundamente nesta ideia do espetáculo, que consegue conjugar muitas artes, afirma o ator. Sou um apoiador das novas tecnologias também em nível teatral, e este projeto, que coloca em campo um enorme profissionalismo, atraiu-me imediatamente. Nós somos circundados pela beleza, temos esta grandíssima sorte (...). Passamos ao lado de monumentos diariamente, e nem nos damos mais conta disto. Quando existe a possibilidade de participar de alguma coisa que consegue dar voz, luz, a percerbermos aquilo que nos circunda, é algo que nos deixa orgulhosos”.

Photogallery

Juízo Universal
12 março 2018, 14:57