Versão Beta

Cerca

Vatican News
Guardas suíços duante a Audiência Geral na Praça São Pedro Guardas suíços duante a Audiência Geral na Praça São Pedro  (AFP or licensors)

Calendário 2018 da Guarda Suíça Pontifícia

O Calendário 2018 da Guarda Suíça, com tiragem limitada, foi elaborado em colaboração com um ex-guarda que passou a dedicar-se à arte

Cidade do Vaticano

Nunca se deixa de ser um guarda suíço pontifício, nem mesmo quando o serviço prestado no Vaticano torna-se apenas uma recordação dos idos anos de juventude.

Prova disto é o Calendário 2018 que o Corpo de Guarda preparou em colaboração com Rudolf Mirer, ex-guarda, e responsável pelos esboços que acompanham cada mês do ano .

O comandante Christoph Graf explica na apresentação do Calendário que Rudolf Mirer, depois “de seu serviço na Guarda, passou a dedicar-se inteiramente à arte, tendo repetidas inspirações de suas recordações do tempo passado no Vaticano”.

Entre as suas obras principais, Graf recorda a capa do calendário que “tornou-se o símbolo das celebrações dos 500 anos da fundação da Guarda Suíça pontifícia”.

Mirer também encontra inspirações na natureza de sua terra natal, no ambiente alpino muito familiar a ele, assim como no âmbito religioso.

A imagem escolhida para o mês de janeiro mostra a chegada dos primeiros guardas em Roma em 1506, para então passar à fevereiro com o esboço retratando dois militares de perfil, tendo por título “Cada cabeça um mundo”.

 

As imagens mês a mês

 

O mês de março oferece um motivo de reflexão sobre o valor da paz: dois alabardeiros com as suas armas cruzadas formando uma cruz.

Para abril foi escolhido o tema da ecologia e da tutela da criação – expresso com os rostos de Francisco de Assis e de Clara – para recordar a Encíclica do Papa Francisco Laudato Si.

A imagem de maio recorda o saque de Roma e o valor dos guardas suíços que morreram para defender o Papa.

Enquanto o mês de junho mostra a imagem de um tambor com um fundo azul e cinza, o mês de julho  apresenta o sol com o céu azul no horizonte, despontando a figura do Papa que é observado por um guarda que cuida de sua segurança.

Agosto retrata uma tradição religiosa da Suíça, com as pequenas capelas com a cruz espalhadas pela paisagens dos vilarejos e da cidade.

Setembro e outubro oferecem respectivamente um momento da vida cotidiana, com a imagens da troca da guarda e de uma conversa entre dois militares.

Novembro foi dedicado a “Roma, Cidade Eterna, pátria eterna”.

Dezembro, por fim, quer preparar os fiéis para a vinda do Salvador por meio de uma imagem de Nossa Senhora, conservada na abadia beneditina de Einsiedeln.

O calendário – em edição limitada a 500 exemplares e numerada - está à venda no posto da Guarda Suíça na Porta Sant’Anna.

Calendário 2018 da Guarda Suíça
02 janeiro 2018, 09:53