Versão Beta

Cerca

S. Emilìa de Vialar

Ao serviço da miséria

Santa Emília dedicou a sua vida aos pobres, que acolhia em sua casa, em cuja obra envolveu também algumas companheiras como uma verdadeira organização de caridade. Com elas, em 1832, inaugurou uma nova forma de vida religiosa, dedicada ao serviço de todas as misérias e à instrução de meninas. Com o apoio do Arcebispo de Albi, Dom François-Marie de Gauly, o Instituto de São José da Aparição teve um grande impulso, tanto que, em poucos anos, se difundiu por todos os Continentes.

Em 1951, a Igreja a proclamou santa. Seus restos mortais foram transferidos para Gaillac, em 1972, para a veneração dos cristãos da sua terra natal que a viu nascer.

42 Institutos no mundo

Emília de Vialar faleceu em 24 de agosto de 12856, dia em que é festejada em Marselha, onde trabalhou por tanto tempo.

Fundou a sua Congregação das Irmãs de São José da Aparição no dia de Natal de 1832, com o intuito de propagar o Evangelho nos países mais distantes. Apesar das dificuldades, das perseguições e da pobreza, conseguiu abrir 42 casas, da África do Norte à Birmânia, que deram um notável desenvolvimento ao seu Instituto.

Emília foi canonizada em 17 de junho de 1951 pelo Papa Pio XII.

Hoje, as suas Filhas estão presentes nos cinco Continentes. Sua festa canônica é celebrada no dia 24 de agosto, mas, nas suas Comunidades, é dia 17 de junho, dia da sua canonização.