Cerca

S. João Sarkander, presbítero e mártir

Dia 20 de dezembro de 1576: João Sarkander nasceu em Skoczów, na Silésia. Quando jovem, estudou no colégio jesuíta de Olomouc, na Universidade de Praga e fez faculdade de Teologia em Graz.
Ele queria se casar, mas antes do casamento, sua noiva faleceu. Depois do período de luto, completou seus estudos de Teologia e, com 32 anos de idade, foi ordenado sacerdote.
Em 1616, João foi nomeado pároco de Holešov. Naquele tempo, iniciou-se um período de fortes tensões, por causa da revolta dos nobres da Boêmia, de maioria protestante, contra o Império da Áustria. Os jesuítas deixam Holešov e, logo depois, em 1619, João Sarkander fez uma peregrinação a Częstochowa.

Martírio

Permaneceu na Polônia por cinco meses e, depois, voltou para Holešov, enquanto a Morávia era palco de devastações e saques pelas tropas polonesas. Holešov foi poupada porque os fiéis, em procissão eucarística, guiados pelo Padre João Sarkander, foram ao encontro dos soldados poloneses. Este sacerdote da Morávia era acusado de espionagem, em favor do rei polonês, que interveio, com suas tropas, para apoiar o imperador da Áustria. João passou por interrogatórios e por cruéis e prolongadas torturas. Após um mês de sofrimento, faleceu na prisão aos 46 anos. Era o dia 17 de março de 1620.

Canonização

Outra data significativa é o dia 21 de maio de 1995, dia da sua canonização. Em sua homilia, o Papa João Paulo II destacou que a figura de São João Sarkander «se revestiu de uma luz excepcional, sobretudo no fim da sua vida, quando foi preso e recebeu do Senhor a graça do martírio. Em uma época de turbulência, ele representou um sinal da presença de Deus, da sua fidelidade em meio às contradições da história. Sua canonização - concluiu na ocasião o Papa Wojtyla – vai, acima de tudo, à honra de todos aqueles que, não apenas na Morávia e na Boêmia, mas em toda a Europa Oriental, optaram pela privação dos seus bens, a marginalização e morte, ao invés de se submeterem à opressão e à violência».