Busca

Vatican News
O Pontífice em um dos encontros com Ghabroyan O Pontífice em um dos encontros com Ghabroyan 

Papa recorda Patriarca da Cilícia dos Armênios Católicos: pastor atencioso à Síria e Líbano

Por ocasião das exéquias do Patriarca da Cilícia dos Armênios Católicos, Sua Beatitude Gregory Pierre XX Ghabroyan, que faleceu na última terça-feira, 25 de maio, Francisco enviou uma mensagem neste sábado (29) a dom Boutros Marayati, administrador da Igreja Patriarcal. No texto, recordou os momentos vividos juntos e também destacou a atuação nestes anos como um "pastor atencioso", incentivando ações de solidariedade junto às populações provadas da Síria e do Líbano.

Andressa Collet – Vatican News

Ouça a reportagem e compartilhe

O Papa Francisco enviou neste sábado (29), ao Líbano, uma mensagem por ocasião das exéquias do Patriarca da Cilícia dos Armênios Católicos, Sua Beatitude Gregory Pierre XX Ghabroyan, que faleceu na última terça-feira, 25 de maio. As condolências foram dirigidas em língua francesa a dom Boutros Marayati, arcebispo dos Armênios Católicos de Aleppo que assumiu como administrador da Igreja Patriarcal e presidiu a cerimônia de despedida. A mensagem de pesar foi transmitida através do cardeal Mario Zenari, núncio apostólico em Damasco, na Síria, e representante pessoal do Pontífice na ocasião.

No texto, o Papa afirma que soube da notícia do “regresso à Casa do Pai do amado Irmão em Cristo”, o Chefe da Igreja Católica Armênia – eleito em 25 de julho de 2015 - que faleceu após uma longa doença que durou mais de 5 meses. Francisco diz recordar-se bem da eleição, de quando “antes de aceitar, queria me pedir uma benção especial para poder ser capaz de conduzir a Igreja Patriarcal, apesar da idade já avançada”.

Os encontros entre os dois

O Pontífice lembra na mensagem as várias oportunidades em que se encontraram: em 2015, quando concelebraram a Eucaristia em Roma; em 2016, quando estiveram juntos na viagem apostólica à Armênia, particularmente o Papa visitou a catedral para os fiéis armênios católicos da Europa Oriental, em Gyumri, e junto com os bispos do Sínodo da Igreja Patriarcal; e também em 2018, por ocasião da inauguração da Estátua de São Gregório de Narek, nos Jardins do Vaticano. “Tantos momentos especiais que me permitiram estar perto do Patriarca” e, através dele, com o amado povo armênio, comenta Francisco na mensagem, “que tanto sofreu ao longo da história, mas sempre permaneceu fiel à profissão de fé em Cristo Salvador”.

O serviço à Igreja e aos povos sofridos

Durante esses anos, recorda ainda o Pontífice, “como Pastor atencioso, Sua Beatitude presidiu a Igreja Patriarcal da Cilícia dos Armênios, ativando contatos com várias instituições civis e eclesiásticas para que fossem apoiadas certas iniciativas de solidariedade para as populações mais provadas, especialmente na Síria e no Líbano”. Em particular, deu muita atenção ao processo de beatificação e de canonização do predecessor, o Servo de Deus cardeal Gregory Pierre XV Agagianian.

Na mensagem, o Papa também lembra que, neste “último período de peregrinação terrena, ele enfrentou com dignidade o declínio progressivo de sua força física e, com senso de responsabilidade, se perguntou em consciência se ainda era capaz de guiar a Igreja Armênia como Patriarca: o Senhor lhe respondeu, pronunciando uma última vez o chamado para segui-lo”.

29 maio 2021, 12:00