Busca

Vatican News
O juiz Mohamed Abdel Salam sendo entrevistado pela irmã Bernadette Mary Reis O juiz Mohamed Abdel Salam sendo entrevistado pela irmã Bernadette Mary Reis 

Abdel Salam, crônica do caminho de dois líderes da fraternidade

Entrevista com o Juiz Mohamed Abdel Salam que entregou ao Pontífice um exemplar de seu livro "O Papa e o Grão Imame: Um caminho espinhoso". O texto descreve o processo empreendido pelo Pontífice e pelo Grão Imame de Al Azhar Ahmad Al-Tayyeb para redigir o "Documento sobre a Fraternidade Humana" assinado em fevereiro de 2019 em Abu Dhabi

Bernadette Mary Reis, fsp – Vatican News

Abdel Salam, atual secretário geral do Comitê Superior da Fraternidade Humana, falou sobre seu livro e suas impressões sobre o último esforço do Papa no Iraque para promover a fraternidade humana. Na entrevista, ele se referiu ao seu encontro com Francisco em 8 de abril, juntamente com dois outros membros do Comitê, o Cardeal Miguel Ayuso e Dom Yoannis Gaid. Juntos eles apresentaram "algumas iniciativas e algumas ideias para projetos futuros".

Como testemunha ocular

"Fiquei extremamente honrado por ter tido a oportunidade de apresentar meu livro recém-publicado sobre o caminho da fraternidade humana", relatou o juiz. Um caminho, percorrido pelo Pontífice e pelo Grão Imame, que Salam define como "imortal e que jamais será esquecido". Um caminho "muito estimulante", pois envolve dois líderes religiosos dos quais pessoas de todas as religiões e de todas as idades podem tirar "lições e benefícios". Foi isto que motivou o juiz a "anotar cada detalhe" como testemunha ocular de cada "evento e cada passo" para a criação do documento.

Para as futuras gerações

"Tenho certeza que as próximas gerações aprenderão muito com esta caminhada comum que foi iniciada com o único propósito de melhorar a humanidade inteira". Gostaria de convidar todas as pessoas, todas as gerações, todos os jovens, a seguirem seus passos, a descobrirem como superaram as dificuldades e a alcançarem algo digno para toda a humanidade".

Um percurso que começou há cinco anos

Um percurso que começou no Vaticano quando, em 23 de maio de 2016, o Grão Imame visitou seu "irmão", o Papa Francisco. Uma visita retribuída pelo Papa na sua viagem ao Egito no final de abril de 2017. Depois disso o Grão Imame foi mais uma vez ao Vaticano, até que os dois "se encontraram em Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos". O juiz disse que se sentiu obrigado na sua consciência a dizer ao "mundo e às futuras gerações " o que testemunhou e "a relação entre estas duas grandes figuras religiosas". Ele também espera que as pessoas "reconheçam os desafios e dificuldades que, em virtude da própria ousadia", esses dois líderes superaram "para alcançar grandes objetivos".

O Papa no Iraque, líder da fraternidade

Comentando a recente visita do Papa ao Iraque, Abdel Salam disse que era uma viagem "fundamentalmente necessária em termos de fraternidade". "O Papa", acrescentou, "é um líder da fraternidade humana". O juiz então se deteu sobre os desafios enfrentados pelo Pontífice ao fazer essa visita: como a Covid-19, problemas de segurança e muito mais. "Este caminho não é outro senão a realização da paz internacional", continuou o juiz, "um caminho repleto de dificuldades", que "precisa realmente de líderes que possam superar as dificuldades: o Papa Francisco é verdadeiramente um homem único e grande e devemos aprender com ele".

O único objetivo do Papa é a paz

Abdel Salam também comentou o encontro do Papa com o Grão Aiatolá Al-Sistani, definindo-o como "um passo muito importante no caminho da fraternidade humana". "É um novo [elo] na cadeia da fraternidade humana, que está sendo formada dia a dia". O desejo do Papa Francisco de ajudar o Iraque a alcançar a unidade confirma, disse o juiz, "que o Papa vê apenas um objetivo, que é a paz". O encontro com a Al-Sistani é, portanto, um "apelo à esperança de uma coexistência pacífica sustentável no Iraque, na região do Oriente Médio e em todo o mundo".

13 abril 2021, 10:16