Busca

Vatican News

JMJ diocesana no Domingo de Cristo Rei: símbolos nas mãos dos jovens portugueses

Após a entrega dos símbolos da JMJ dos jovens panamenhos aos jovens portugueses, o Papa anunciou que a partir do próximo ano, a celebração diocesana da JMJ no Domingo de Ramos passa a ser celebrada no Domingo de Cristo Rei. "No centro permanece o Mistério de Jesus Cristo Redentor do homem, como sempre destacou São João Paulo II, iniciador e patrono da JMJ", disse Francisco.

Mariangela Jaguraba - Vatican News

No final da celebração eucarística na Basílica de São Pedro, presidida pelo Papa Francisco, na manhã deste domingo (22/11), Solenidade de Cristo Rei, houve a entrega dos símbolos da JMJ dos jovens panamenhos aos jovens portugueses.   

Ouça e compartilhe

O Pontífice saudou todos as pessoas ali presentes e as que acompanharam a missa através dos meios de comunicação social.

Dirijo uma saudação particular a vocês jovens, panamenhos e portugueses, aqui representados por duas delegações que, em breve, realizarão o gesto significativo da passagem da Cruz e do Ícone de Maria Salus Populi Romani, símbolos das Jornadas Mundiais da Juventude. É um passo importante na peregrinação que nos levará a Lisboa, em 2023.

A seguir, o Papa fez um anúncio importante relativo às Jornadas Mundiais da Juventude diocesanas:

Enquanto nos preparamos para a próxima edição intercontinental da JMJ, gostaria de relançar também a sua celebração nas Igrejas locais. Passados trinta e cinco anos da instituição da JMJ, depois de ter ouvido o parecer de várias pessoas e o Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, que é competente no que se refere à pastoral juvenil, decidi transferir, a partir do próximo ano, a celebração diocesana da JMJ do Domingo de Ramos para o Domingo de Cristo Rei. No centro permanece o Mistério de Jesus Cristo Redentor do homem, como sempre destacou São João Paulo II, iniciador e patrono da JMJ.

Francisco convidou os jovens a gritarem com suas vidas que Cristo vive e que Cristo reina, que Cristo é o Senhor! “Se vocês se calarem, as pedras gritarão”, concluiu.

22 novembro 2020, 11:01