Busca

Vatican News
O cardeal Marian Jaworski faleceu no sábado, 5 de setembro O cardeal Marian Jaworski faleceu no sábado, 5 de setembro 

Papa: cardeal Jaworski, zelo sacerdotal e fidelidade ao Evangelho

Francisco se une ao purpurado polonês, aos fiéis da Igreja na Polônia e na Ucrânia, na oração de sufrágio, agradecendo “ao Senhor pela vida e pelo ministério apostólico desta testemunha fiel do Evangelho”.

Vatican News

O Papa Francisco enviou um telegrama de pesar, nesta terça-feira (08/09), ao arcebispo de Cracóvia, na Polônia, dom Marek Jądraszewski, pelo falecimento do arcebispo emérito ucraniano de Lviv dos Latinos, cardeal Marian Jaworski, no último dia 5.

Ouça e compartilhe

Francisco se une ao purpurado polonês, aos fiéis da Igreja na Polônia e na Ucrânia, na oração de sufrágio, agradecendo “ao Senhor pela vida e pelo ministério apostólico desta testemunha fiel do Evangelho”.

“Recordo com gratidão o seu compromisso acadêmico como um apreciado homem de ciência e professor de Teologia e Filosofia nas Universidades de Varsóvia, Cracóvia e Lviv, como decano e primeiro reitor da Pontifícia Academia de Teologia de Cracóvia. São João Paulo II muitas vezes enfatizou sua contribuição particular e preciosa para o desenvolvimento científico”, ressalta o Pontífice no texto.

“Para mim, viver é Cristo.” “Este lema episcopal o acompanhou ao longo de sua vida e definiu a sua maneira de pensar, avaliar, fazer escolhas, tomar decisões e definir as perspectivas de várias pesquisas”, sublinha ainda o Papa.

Francisco recorda no telegrama que o cardeal Jaworski foi um amigo fraterno de São João Paulo II. “Ele o apoiou nos trabalhos do ministério episcopal e papal. Administrou o sacramento da Unção ao Papa agonizante. Como filósofo e teólogo, colaborou estritamente com o Papa Bento XVI. Pessoalmente, estou unido a ele pela data do Consistório de 2001, quando fomos criados cardeais”, frisa o Pontífice.

“Nos corações daqueles que o conheceram, ele permaneceu como um homem extremamente justo, sincero e corajoso que amava a Igreja. Deixou um testemunho digno de zelo sacerdotal, erudição, fidelidade ao Evangelho e responsabilidade pela comunidade de fiéis”, sublinha ainda o Papa.

O Papa conclui o telegrama, pedido a Jesus Misericordioso, “a quem o cardeal Marian, de luminosa memória, dedicou a sua vida”, para que “o acolha na sua glória”. Concedeu a sua bênção à Igreja na Polônia e na Ucrânia, e a todos os presentes nas exéquias.

Biografia

O cardeal Marian Jaworski, arcebispo emérito de Lviv dos Latinos, na Ucrânia, nasceu em 21 de agosto de 1926 em Lwów, na Polônia, hoje Lviv, Ucrânia. Foi ordenado sacerdote em 25 de junho de 1950 e, após um ano de trabalho pastoral, continuou seus estudos, obtendo o doutorado em Teologia na Academia Teológica de Cracóvia e Filosofia na Universidade Católica de Lublin.

Lecionou por vários anos na Academia Teológica Católica de Varsóvia e mais tarde na Pontifícia Faculdade Teológica de Cracóvia. Ele também lecionou Metafísica e Filosofia da Religião nos seminários de várias ordens religiosas. De 1981 a 1987, foi o primeiro reitor da Pontifícia Academia Teológica de Cracóvia.

Em 21 de maio de 1984, foi nomeado bispo titular de Lambésis e administrador apostólico de Lubaczów, recebendo a ordenação episcopal em 23 de junho. Em 16 de janeiro de 1991, foi nomeado arcebispo de Lviv dos Latinos e foi também presidente da Conferência Episcopal Ucraniana.

Em 21 de outubro de 2008, tornou-se arcebispo emérito de Lviv dos Latinos. Participou do conclave de abril de 2005, que elegeu o Papa Bento XVI. Foi criado cardeal e reservado “in pectore” por São João Paulo II no consistório de 21 fevereiro de 1998, proclamado no consistório de 21 de fevereiro de 2001, do Título de São Sisto.

08 setembro 2020, 11:08