Busca

Vatican News

Papa: que o Líbano realize sua vocação de mensagem de paz

O cardeal Pietro Parolin falou ao povo libanês na breve mensagem do Papa Francisco lida, em Beirute, na qual se sente o amor do Santo Padre e o amor e a predileção de Deus por este país.

Mariangela Jaguraba - Vatican News

O secretário de Estado, cardeal Pietro Parolin, leu a mensagem do Papa Francisco, em Beirute, no âmbito do Dia Universal de Oração e Jejum pelo Líbano, convocado para esta sexta-feira (04/09).

Circundado de microfones e ao som de buzinas de carros, o purpurado falou ao povo libanês nesta breve mensagem na qual se sente o amor do Papa Francisco e o amor e a predileção de Deus por este país que mais uma vez enfrenta um momento difícil de sua história.

Eis a mensagem do Papa lida pelo cardeal Parolin.

«Conheço os projetos que fiz para vocês», diz o Senhor, Projetos de paz e não de desventura para conceder-lhes um futuro cheio de esperança. Senhor, acreditamos que você manterá a sua palavra para realizá-la e esperamos contra toda esperança ou desgraça. Agradecemos-lhe pelo seu amor que se expressou através da solidariedade de muitos. Confiamos-lhe o nosso país, o Líbano, com seu povo, os seus líderes religiosos e políticos e os seus jovens. Que ele realize a sua vocação de mensagem de paz e fraternidade à qual você o chamou. Amém.

O cardeal Parolin chegou a Beirute nesta quinta-feira (03/09), e se encontrou com os líderes religiosos na Catedral Maronita de São Jorge. “Juntos podemos vencer a violência e todas as formas de autoritarismo, promovendo uma cidadania inclusiva baseada no respeito dos direitos e deveres fundamentais”, disse o purpurado na ocasião.

O secretário de Estado Vaticano visitou também o Santuário de Nossa Senhora do Líbano e Harissa e na homilia da missa disse que “os libaneses reconstruirão o seu país, com a ajuda de amigos e com o espírito de compreensão, diálogo e convivência que sempre os distinguiu”. Recordou as dificuldades enfrentadas pelo país, a crise econômica, social e política, a pandemia da Covid-19 e a trágica explosão no porto de Beirute.

 

04 setembro 2020, 14:58