Busca

Vatican News

Papa e bispos cubanos recordam cinco anos da visita ao país

No quinto aniversário da visita do Papa Francisco à ilha, em setembro de 2015, os bispos cubanos agradecem a proximidade e o carinho pela Igreja cubana e seu povo. Eles também se referem às suas expectativas para a próxima Encíclica "Fratelli Tutti" anunciada pelo Papa.

Vatican News

Ao saudar os fiéis de língua espanhola ao final da Audiência Geral, o Papa Francisco recordou o quinto aniversário de sua viagem a Cuba:

Nestes dias completaram cinco anos da minha Viagem Apostólica a Cuba. Saúdo os meus irmãos bispos e a todos os filhos e filhas dessa amada terra. Asseguro minha proximidade e minha oração. Peço ao Senhor, por intercessão de Nossa Senhora da Caridad del Cobre, que os liberte e alivie nestes tempos difíceis que atravessam devido à pandemia. E a todos, que o Senhor nos conceda construir juntos, como família humana, um futuro de esperança, em que a dimensão local e a dimensão global se enriqueçam mutuamente, floresça a beleza e se construa um presente de justiça onde todos se comprometam a servir e compartilhar. Deus abençoe todos vocês.

Mensagem dos bispos cubanos: ensinamentos que animam nossa ação pastoral

 

“São muitas as experiências vividas que agora se acumulam em nossa memória e nosso afeto, em particular se sobressai a vigência do conteúdo dos seus ensinamentos que hoje animam a nossa ação pastoral”. A afirmação é da Conferência dos Bispos Católicos de Cuba (COCC) em uma carta dirigida ao Papa Francisco no quinto aniversário de sua histórica visita ao país, realizada de 19 a 22 de setembro de 2015.

Com a data de 18 de setembro, a mensagem ressalta a coincidência dessa viagem com o Ano Jubilar da Misericórdia, convocado pelo próprio Pontífice, e assegura que essa misericórdia que o Papa deixou com a sua visita “continua a ser inspiração que confere essencialidade evangélica permanente à nossa missão”.

A COCC constata o impulso que o encontro com o Papa deu aos bispos, sacerdotes e agentes pastorais para “ser a Igreja em saída”, encorajados por sua homilia na Basílica do Santuário de Nossa Senhora da Caridade do Cobre. Em particular, a carta destaca o encontro do Papa Francisco com um matrimônio na Catedral de Santiago de Cuba como uma "experiência" inesquecível e emocionante, que acompanhada por "oportunas abordagens e critérios" do Santo Padre, encorajaram o "caminhar" das famílias cubanas.

Covid-19 e a amizade social proposta aos jovens cubanos

 

Ao se referir à pandemia de Covid-19, os bispos passam da recordação à difícil realidade atual, pela complexa situação que o mundo inteiro enfrenta, inclusive Cuba, devido aos contágios, o confinamento prolongado e as graves limitações que tantas pessoas enfrentam para encontrar comida e outros bens de primeira necessidade. “É também uma ocasião para praticar a amizade social que o senhor propôs aos jovens cubanos e que, nestas circunstâncias, nos dispõe a receber sua anunciada Encíclica Fratelli Tutti”.

Os bispos cubanos asseguram ao Papa seu afeto filial e suas orações por uma humanidade renovada pelo amor. “Papa Francisco - diz a carta -, recordamos com gratidão e responsabilidade pastoral as experiências daqueles dias de graça. Que o bom Deus recompense sua proximidade e afeto à nossa Igreja e a todo o nosso povo”.

Trabalho de "ponte"

 

A visita do Papa Francisco a Cuba, que posteriormente o levou aos Estados Unidos, foi realizada em um contexto especial devido ao então acordo, nove meses antes, em dezembro de 2014, entre os presidentes dos Estados Unidos e de Cuba, Barack Obama e Raúl Castro, respectivamente, para retomar as relações diplomáticas, em grande parte conseguidas graças à ajuda do Papa. De fato, em várias ocasiões referiu-se precisamente a esse trabalho de “ponte” necessária para alcançar a paz e a reconciliação entre as nações.

Em Cuba, Francisco, o terceiro Pontífice a pisar na ilha depois de São João Paulo II e do emérito Papa Bento XVI, celebrou a Santa Missa na Plaza de la Revolución, em Havana, encontrou-se com as autoridades civis e também com o comunidade eclesiástica e jovens cubanos. Uma visita breve, que também o levou a Holguín e Santiago de Cuba para se encontrar com as famílias e fazer uma oração à Virgen de la Caridad del Cobre, padroeira de Cuba.

Vatican News Service - ATD

23 setembro 2020, 11:11