Busca

Vatican News
Migrantes sírios Migrantes sírios  (ANSA)

O Papa pede para rezar pelos migrantes que fogem das guerras

Depois do Angelus, neste domingo, o Papa Francisco expressou seu pesar pelas muitas comunidades que são expulsas de suas terras por causa dos conflitos. O Santo Padre fez também uma convite para rezar por eles.

Marco Guerra, Silvonei José - Cidade do Vaticano

No final da oração mariana do Angelus neste domingo (01/03), o Papa Francisco expressou sua preocupação pelas populações atingidas pelas guerras e obrigadas a emigrar:

Estou um pouco triste com as notícias que chegam de tantos lugares, tantos homens, mulheres, crianças expulsos por causa da guerra, tantos migrantes pedindo refúgio no mundo, e ajuda. Nestes dias, a situação tornou-se muito difícil: rezemos por eles.

Ouça a reportagem

A crise na Síria

O apelo de hoje do Papa à oração em favor dos povos em fuga dos conflitos chega em coincidência com a nova crise migratória causada pela escalada da guerra na região síria de Idlib, onde cerca de 950 mil pessoas deslocadas estão fugindo dos combates entre as forças turcas, que apoiam os rebeldes, e as tropas do exército sírio, apoiadas pela Rússia.

Solicitada reunião de emergência da UE

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, voltou ontem a ameaçar que a Turquia deixaria aberta as suas fronteiras com a Europa a dezenas de milhares de refugiados sírios. Uma nova onda de migrantes já foi registrada nesta manhã de domingo na fronteira entre a Turquia e a Grécia, com a chegada de pelo menos 2.000 pessoas, incluindo mulheres e crianças. Entretanto, o Comissário da UE para a Imigração, Margaritis Schinas, pediu à Presidência croata da UE que convoque urgentemente uma reunião extraordinária do Conselho de Ministros do Interior para discutir a situação na fronteira turca.

Encontro de Bari

No domingo passado, o Santo Padre em Bari, por ocasião do encontro dos bispos sobre o tema "Mediterrâneo fronteira de paz", exortou os cristãos a serem "incansáveis pacificadores" no "Mare nostrum", dilacerado por divisões e desigualdades. Referindo-se precisamente às muitas áreas que se debruçam sobre o Mediterrâneo, o Papa também falou dos muitos "focos de instabilidade e guerra", tanto no Oriente Médio como em vários Estados do Norte da África, assim como entre grupos étnicos e grupos religiosos.

01 março 2020, 13:30