Busca

Vatican News

No Angelus em Bari, um premente apelo do Papa em favor da Síria

“De nossos corações de pastores se eleva um forte apelo aos atores envolvidos e à comunidade internacional, a fim de que silencie o ribombar das armas e se ouça o choro dos pequenos e dos indefesos; a fim de que os cálculos e os interesses sejam colocados de lado, para salvaguardar a vida dos civis e das muitas crianças inocentes que pagam suas consequências”, disse o Papa este domingo (23/02) no Angelus em Bari, em mais um apelo em favor da Síria

Raimundo de Lima - Cidade do Vaticano

“Enquanto estamos aqui reunidos para rezar e refletir sobre a paz e sobre as sortes dos povos que estão à margem do Mediterrâneo, do outro lado deste mar, em particular no noroeste da Síria, se consuma uma imane tragédia.”

Ouça a reportagem com a voz do Papa Francisco

Foi o que disse o Papa no Angelus ao término da Santa Missa celebrada este domingo (23/02) no corso Vittorio Emanuele II, centro de Bari, na conclusão do Encontro de reflexão e espiritualidade “Mediterrâneo, fronteira de paz”, promovido pela Conferência Episcopal Italiana (CEI) na cidade da região da Puglia, sul da Península.

Apelo às partes envolvidas e à comunidade internacional

Em seguida, o Santo Padre fez um premente apelo às partes envolvidas no conflito sírio e à comunidade internacional:

“De nossos corações de pastores se eleva um forte apelo aos atores envolvidos e à comunidade internacional, a fim de que silencie o ribombar das armas e se ouça o choro dos pequenos e dos indefesos; a fim de que os cálculos e os interesses sejam colocados de lado, para salvaguardar a vida dos civis e das muitas crianças inocentes que pagam suas consequências.”

Superar a lógica do ódio para redescobrir-se irmãos

“Rezemos ao Senhor a fim de que mova os corações e todos possam superar a lógica do confronto, do ódio e da vingança para redescobrir-se irmãos, filhos de um só Pai, que faz o sol nascer sobre os bons e sobre os maus”, exortou o Pontífice.

O Papa convidou a invocar o Espírito Santo, a fim de que cada um de nós – disse – “a partir de gestos cotidianos de amor, contribua para construir relações novas, inspiradas na compreensão, no acolhimento, na paciência, colocando assim as condições para experimentar a alegria do Evangelho e difundi-la em todo ambiente de vida.

Agradecimento aos participantes do encontro

Antes de recitar a oração mariana, o Papa agradeceu a todos os bispos e aos que participaram do encontro sobre o Mediterrâneo como fronteira de paz, bem como aos que de diferentes modos trabalharam por seu bom êxito. “Vocês contribuíram para fazer crescer a cultura do encontro e do diálogo nesta região tão importante para a paz no mundo”, disse por fim.

No Angelus, o apelo do Papa em favor da Síria
23 fevereiro 2020, 12:30