Busca

Vatican News

Papa aos pescadores: valorizar um trabalho antigo

O Papa Francisco exorta os pescadores a não perder a esperança diante dos inconvenientes e incertezas do seu trabalho beira-mar e elogia a Operação "Pesca de plástico", exemplo e estímulo para as sociedades em nível global.

Manuel Tavares - Cidade do Vaticano

O Santo Padre concluiu sua série de audiências, neste sábado (18/01), no Vaticano, recebendo na Sala Clementina uma delegação de 70 pescadores de San Benedetto del Tronto, uma cidade na região italiana das Marcas.

Ouça e compartilhe!

Em seu discurso, o Papa recordou o trabalho diário que fazem os pescadores, que enfrentam tantos sacrifícios e perigos, para levar o pão de cada dia às suas famílias:

“Vocês pertencem a uma categoria significativa na vida social na região das Marcas. No progresso, que caracteriza a sociedade moderna, o pescador pode se sentir, às vezes, tentado pelo desejo de um trabalho mais seguro em terra firme. No entanto, quem nasceu à beira-mar não pode erradicar esta realidade do seu coração”

Por isso, o Santo Padre exortou os pescadores, suas famílias e acompanhantes, a não perder a esperança diante dos inconvenientes e incertezas, que infelizmente enfrentam: “Coragem não lhes falta!”. Por outro lado, disse que este trabalho à beira-mar, muitas vezes, é arriscado, árduo e perigoso; por este motivo, deve ser valorizado, como também defendidos seus direitos e aspirações.

Preservação do fundo do mar

A seguir, Francisco referiu-se à atividade de preservação do fundo mar, promovida por associações e autoridades locais, da qual os pescadores participam:

“Esta iniciativa é muito importante, tanto pela grande quantidade de resíduos, sobretudo plásticos, extraídos do mar, quanto por se tornar um exemplo para outras áreas da Itália e do mundo. A operação voluntária "Pesca de plástico", é um exemplo e um estímulo para a sociedade civil em nível global”

Pescadores da Galileia

Neste sentido, Francisco recordou que “a pesca é um trabalho antigo”. Os Evangelhos narram uma série de acontecimentos sobre a vida e o mundo dos pescadores. De fato, os primeiros discípulos de Jesus eram pescadores. Ele os chamou para segui-lo enquanto  lançavam suas redes às margens do Lago da Galileia. E o Papa ponderou:

“Imagino que, também hoje, muitos de vocês cristãos sentem a presença espiritual do Senhor ao seu lado. A sua fé gera valores preciosos: a religiosidade popular, expressa na confiança em Deus, na oração e na educação cristã dos seus filhos; a estima pela família; o senso de solidariedade e ajuda mútua em suas necessidades. Não percam estes valores!”

O Santo Padre concluiu sua saudação aos pescadores de San Benedetto del Tronto invocando sobre todos a proteção da Virgem Maria, por eles venerada como "Nossa Senhora do Mar, e do seu padroeiro São Francisco de Paula, o Eremita da Caridade. 

18 janeiro 2020, 12:44