Busca

Vatican News

Papa recorda Dom Bosco: que cada jovem encontre seu caminho na vida

"Rezemos a são João Bosco para que cada um encontre na vida a seu caminho, aquilo que Deus quer para nós", disse o Papa na Audiência Geral da última quarta-feira.

Cidade do Vaticano

Na Audiência Geral de quarta-feira (29/01), o Papa Francisco recordou Dom Bosco, padroeiro dos jovens, que a Igreja celebra em 31 de janeiro:

“Que o exemplo de santidade de São João Bosco, que recordamos sexta-feira como Pai e Mestre da juventude, conduza sobretudo vocês, queridos jovens, a realizar seus projetos futuros, não excluindo o plano que Deus tem para cada um. Rezemos a são João Bosco para que cada um encontre na vida o seu caminho, aquilo que Deus quer para nós.”

Ao longo de seu pontificado, Francisco fez inúmeras referências ao santo padroeiro da juventude. Exatamente um ano atrás, dedicou inteiramente a sua homilia na Casa Santa Marta a Dom Bosco, ressaltando a sua capacidade de olhar para as coisas do mundo com os olhos de Deus.

Num período onde os pobres eram realmente os descartados por uma aristocracia fechada, o então sacerdote italiano ficou indignado com a condição de milhares de jovens.

“Teve a coragem de olhar com os olhos de Deus e ir até Deus e dizer: “Mostra-me isso... isso é uma injustiça... o que fazer diante disso ... Você criou essas pessoas para uma plenitude e elas estão numa verdadeira tragédia...”. E assim, olhando para a realidade com o amor de um pai, pai e mestre e olhando para Deus com os olhos de um mendigo que pede algo de luz, começa a seguir em frente.”

O sacerdote, reiterou o Papa, deve ter “essas duas polaridades”: “olhar a realidade com os olhos de homem e com os olhos de Deus”. Isso significa passar “muito tempo diante do tabernáculo”.

“E qual é o sinal de que um padre está fazendo bem, olhando para a realidade com os olhos de homem e com os olhos de Deus? A alegria. A alegria. Quando um padre não encontra alegria por dentro, pare imediatamente e pergunte o por quê. E a alegria de Dom Bosco é conhecida: é o mestre da alegria! Porque ele fazia os outros se alegrarem e ele mesmo se alegrava. E ele próprio sofria. Peçamos ao Senhor, por intercessão de Dom Bosco, hoje, a graça de que os nossos sacerdotes sejam alegres: alegres porque têm o verdadeiro sentido de olhar para as coisas da pastoral, o povo de Deus, com os olhos de homem e com os olhos de Deus.”
 

31 janeiro 2020, 09:16