Vatican News

Papa na Santa Marta: há uma festa quando a Palavra chega ao coração

O encontro com a Palavra de Deus nos enche de alegria e essa é a nossa força. Foi o que recordou o Papa Francisco na Missa celebrada na Casa Santa Marta, enfatizando que não se pode entender a festa do domingo sem a Palavra de Deus.

Debora Donnini - Cidade do Vaticano

Abrir o coração para o encontro com a Palavra de Deus que nos alegra. Esta é a exortação que o Papa Francisco fez esta manhã na homilia da Missa celebrada na Casa Santa Marta. O Papa convida, portanto, a ouvi-la com atenção, sem deixar que a Palavra entre por um ouvido e saia pelo outro.

Sua reflexão se desenrola a partir da Primeira Leitura da Liturgia de hoje, extraída do Livro de Neemias (Ne 8,1-4a.5-6.7b-12). É a "história do encontro do povo de Deus com a Palavra de Deus. É tudo uma história de reconstrução".

Ouça e compartilhe!

A referência é ao contexto em que acontece a história narrada: a reconstrução do Templo e o retorno do exílio. Neemias, o governador, fala com o sacerdote e o escriba Esdras para "entronizar" a Palavra de Deus: todo o povo se reúne na praça em frente à porta das Águas. O sacerdote Esdras leu: "ele abriu o livro à vista de todo o povo. E, quando o abriu, todo o povo ficou de pé."

Os levitas explicavam a lei. "Uma coisa bonita", observa o Papa Francisco, destacando como "estamos acostumados a ter este livro que é a Palavra de Deus mas, eu diria, estamos mal acostumados" enquanto ao povo "faltava a Palavra, tinha fome da Palavra de Deus, por esse motivo, quando vê o livro da Palavra, fica em pé”.

"Mas pensem que isso não acontecia há décadas, é o encontro do povo com o seu Deus, o encontro do povo com a Palavra de Deus":

Neemias, que era o governador, Esdras, sacerdote e escriba, e os levitas que admoestavam o povo, disseram a todo o povo:" Este dia é consagrado ao Senhor.” Para nós é o  domingo. Domingo é o dia do encontro do  povo com o Senhor, o dia do encontro da minha família com o Senhor. O dia do meu encontro com o Senhor, é um dia de encontro. "Este dia é consagrado ao Senhor".

Por isso, Neemias, Esdras e os levitas exortavam as pessoas a não ficarem tristes e a não chorar. De fato, a Primeira Leitura de hoje narra como todo o povo chorava ao ouvir as palavras da lei. "Chorava de emoção”, “chorava de alegria”, sublinha Francisco:

Quando ouvimos a Palavra de Deus, o que acontece no meu coração? Estou atento à Palavra de Deus? Eu deixo que toque o meu coração ou estou ali,  olhando para o teto, pensando em outras coisas e a Palavra entra por um ouvido e sai pelo outro, não chega ao coração? O que faço para me preparar para que a Palavra chegue ao coração? E quando a Palavra chega ao coração, há o choro de alegria e há uma festa. Não se pode entender a festa de domingo sem a Palavra de Deus, não se entende. "Então Neemias lhes disse 'Ide para vossas casas e comei carnes gordas, tomai bebidas doces e reparti com aqueles que nada prepararam, pois este dia é santo para o nosso Senhor. Não fiqueis tristes, porque a alegria do Senhor será a vossa força'.

Então o Papa volta a recordar que a tristeza, por outro lado, não é a nossa força:

A Palavra de Deus nos alegra, o encontro com a Palavra de Deus nos enche de alegria e essa alegria é a minha força, é a nossa força. Os cristãos são alegres porque  aceitaram, receberam no coração a Palavra de Deus e continuamente encontram a Palavra,  a buscam. Esta é a mensagem de hoje para todos nós. Um breve exame de consciência: como eu escuto a Palavra de Deus? ou simplesmente não a escuto? Como me encontro com o Senhor em sua Palavra que é a Bíblia? E depois: estou convencido de que a alegria do Senhor é a minha força? A tristeza não é a nossa força.

"Os corações entristecidos", de fato, o diabo os coloca para baixo, enquanto a alegria do Senhor "nos faz levantar, olhar, cantar e chorar de alegria".

Um dos salmos diz que, no momento da libertação da Babilônia, o povo judeu pensava estar sonhando, não podiam acreditar. A mesma experiência acontece "quando nós encontramos o Senhor em sua Palavra", quando pensamos: "Mas isso é um sonho ..." e "não podemos acreditar em tamanha beleza".

"Que o Senhor nos dê a todos a graça de abrir o coração para esse encontro com a Sua Palavra e não ter medo da alegria, não ter medo de fazer a festa da alegria”,  aquela alegria – volta a sublinhar o Papa Francisco - que brota precisamente deste encontro com a Palavra de Deus.

03 outubro 2019, 11:36