Busca

Vatican News

Francisco: recordemos sempre do apelo do Papa Wojtyła para abrir as portas a Cristo

Tweet do Papa Francisco no dia da memoria litúrgico de São João Paulo II. Passaram-se 41 anos desde o início do Pontificado do Papa Wojtyła

Amedeo Lomonaco - Cidade do Vaticano

“Agradeçamos ao Senhor por todo o bem feito no mundo e nos corações por meio das palavras, das obras e da santidade de #JoãoPauloII. Recordemos sempre de seu apelo: "Abram as portas a Cristo!", é o tweet do Papa Francisco no dia em que a Igreja recorda o Papa Karol Wojtyła.

De fato, o dia 22 de outubro de 1978 marca o início do Pontificado de João Paulo II. Um dia histórico precedido, em 16 de outubro, pela sua eleição ao trono de Pedro.

A eleição do Papa Wojtyła

O dia da eleição é marcado pela primeira saudação e pela primeira bênção: "Os eminentíssimos cardeais  - diz João Paulo II -  chamaram um novo bispo de Roma. Eles o chamaram de um país distante ... distante, mas sempre tão próximo pela comunhão na fé e na tradição cristã. Tive medo em aceitar este compromisso, mas o fiz com espírito de obediência a Nosso Senhor Jesus Cristo e de total confiança em sua Mãe, Nossa Senhora Santíssima".

“Não, não tenhais medo! Antes, procurai abrir, melhor, escancarar as portas a Cristo! (São João Paulo II)”

Abram-se os confins dos Estados e os sistemas econômicos e políticos

 

Alguns dias mais tarde, na homilia da Missa no início do Pontificado, João Paulo II pronunciou as seguintes palavras:

Irmãos e Irmãs: não tenhais medo de acolher Cristo e de aceitar o Seu poder! E ajudai o Papa e todos aqueles que querem servir a Cristo e, com o poder de Cristo, servir o homem e a humanidade inteira! Não, não tenhais medo! Antes, procurai abrir, melhor, escancarar as portas a Cristo! Ao Seu poder salvador abri os confins dos Estados, os sistemas econômicos assim como os políticos, os vastos campos de cultura, de civilização e de progresso! Não tenhais medo! Cristo sabe bem "o que é que está dentro do homem". Somente Ele o sabe!

Naquele mesmo dia, João Paulo II também elevou "uma oração fervorosa, humilde e confiante": "Ó Cristo! Faz que eu possa me tornar e ser o servidor do teu único poder! Servidor do teu doce poder! Servidor do teu poder que não conhece o ocaso! Faz que eu possa ser um servo! Antes, servo de teus servos".

Aos filhos e filhas de língua portuguesa

 

Aos fiéis de língua portuguesa disse:

Irmãos e Filhos de língua portuguesa (em português): Como "servo dos servos de Deus", eu vos saúdo afetuosamente no Senhor. Abençoando-vos, confio na caridade da vossa oração e na vossa fidelidade, para viverdes sempre a mensagem deste dia e deste rito: Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo!

Que as palavras de São João Paulo II continuam a inspirar

 

Comentando as palavras pronunciadas por São João Paulo II em 1978, o Papa Francisco asssim se dirigiu aos fiéis poloneses presentes na Audiência Geral de 17 de outubro:

Papa Francisco recorda os 41 anos da eleição de Wojtyla

Sinal indelével

 

Por ocasião de uma Convenção realizada em 13 de outubro de 2018, o Papa Francisco enfatizou que São João Paulo II "deixou um sinal indelével na Igreja e na sociedade". "Que a redescoberta do testemunho de fidelidade a Deus e de amor ao homem deste meu venerável antecessor – lê-se na carta  - encoraje todos, especialmente os jovens, a escancararem as portas a Cristo para um compromisso generoso em favor da paz, da fraternidade e da solidariedade ".

Terceiro Pontificado mais longo da história

 

João Paulo II faleceu em Roma, no Palácio Apostólico do Vaticano,  no sábado, 2 de abril de 2005, às 21h37, na véspera do Domingo da Divina Misericórdia, por ele instituído. Seu pontificado foi o terceiro mais longo da história, depois do de Pedro e de Pio IX. O funeral solene na Praça de São Pedro foi celebrado no dia 8 de abril. Beatificado em 2011 por seu sucessor imediato, Bento XVI, foi canonizado em 27 de abril de 2014 pelo Papa Francisco.

Photogallery

22 de outubro de 1978, Missa no início do Pontificado
22 outubro 2019, 12:42