Cerca

Vatican News

Papa encoraja comunidade de rito grego da Itália a viver a fraternidade cristã

O Pontífice expressou oração e gratidão pelo centenário da Constituição Apostólica Catholici fideles, com a qual Bento XV instituiu a Eparquia de Lungro. Ao receber 6 mil ítalo-albaneses neste sábado (25), no Vaticano, Francisco exortou a viver um novo empenho humano no percurso cristão feito de amor, amizade e fraternidade.

Andressa Collet – Cidade do Vaticano

O Papa Francisco recebeu cerca de 6 mil ítalo-albaneses na manhã deste sábado (25), na Sala Paulo VI, no Vaticano. A festa pelo centenário da Constituição Apostólica Catholici fideles, com a qual Bento XV instituiu a Eparquia de Lungro, foi lembrada logo no início do discurso do Pontífice dirigido à comunidade de rito grego, em visita a Roma, “para testemunhar a fé a comunhão diante da inteira Igreja Católica”.

Ouça a reportagem com a voz do Papa

A Eparquia dos ítalo-albaneses da Itália compreende as 26 comunidades que permaneceram fiéis ao tradicional rito religioso bizantino-grego, presentes em cinco províncias, entre elas a de Cosenza, na região da Calábria, onde está a sede, na cidade de Lungro. São 30 mil católicos ítalo-albaneses perfeitamente integrados com as dioceses de rito latino e que, há 100 anos, teve sua “história, legítimas exigências e corajoso itinerário espiritual, caracterizado pela fidelidade à tradição”, reconhecidos pelo então Pontífice.

Centenário inspira novo empenho cristão

Francisco lembrou do fato histórico e convidou a agradecer ao Senhor pelo jubileu, exortando a um novo empenho humano no percurso cristão.

Encorajo a acolher sempre mais em vocês e entre vocês o amor do Senhor, fonte e razão da nossa verdadeira alegria, a participar dos Sacramentos, a manifestar proximidade a cada família, a prestar atenção aos mais pobres e aos necessitados, a acompanhar as jovens gerações com o grande desafio educativo que compete a todos nós: são essas as dimensões pelas quais preservar as próprias tradições, bem como pertencer a Cristo e à sua Igreja. Vocês são chamados a viver como cristãos, testemunhando que o amor é mais bonito que o ódio, que a amizade é mais bonita que a inimizade, que a fraternidade entre todos nós é mais bonita dos conflitos.

O Papa então afirmou que a oração e a gratidão do dia de hoje também são dedicadas àqueles que, no passado, “transmitiram a fé com a sua vida mesmo antes de suas palavras”, como bispos, sacerdotes, religiosos, pais e avós que precederam a comunidade:

“ Imitem o exemplo deles e passem às novas gerações aquele patrimônio espiritual que os identifica. ”

25 maio 2019, 11:23