Cerca

Vatican News

Esforços pacientes para superar as divisões, é a exortação do Papa às duas Coreias

"Uma nova era de paz" começou, afirmava a Declaração de Panmunjom para a Paz, a Prosperidade e a Unificação da Península Coreana, assinada por Kim Jong-un e Moon Jae-in, ao final da Reunião de Cúpula Intercoreana na "Casa da Paz'", no povoado fronteiriço de Panmunjom, em 27 de abril de 2018.

Manoel Tavares - Cidade do Vaticano

O Santo Padre enviou uma vídeo-mensagem por ocasião do primeiro aniversário da Declaração de Paz de Panmunjom, aldeia entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul.

Em sua Mensagem, o Papa diz, textualmente:

«Queridos amigos, é com alegria que lhes envio minha cordial saudação por ocasião do primeiro aniversário da Declaração de Panmunjom pela paz, prosperidade e unificação da Península Coreana.

 

Que esta celebração possa oferecer a todos a esperança de que um futuro, baseado na unidade, no diálogo e na solidariedade fraterna, seja realmente possível. Mediante esforços pacientes e perseverantes, a busca de harmonia e concórdia pode superar a divisão e a contraposição.

Rezo para que este aniversário da Declaração de Panmunjom possa contribuir para uma nova era de paz para todos os Coreanos.

A Declaração de Panmunjom para a Paz, a Prosperidade e a Unificação da Península Coreana, assinada pelos líderes das duas Coreias, afirma que na península coreana não haverá mais guerra e que tem início uma nova época. E a primeira medida prática adotada, foi o fim de todas as atividades hostis entre os dois países, o que incluíu a transmissão de propaganda na Zona Desmilitarizada a partir de 1º de maio.

Papa rezou pelo encontro em 2018

 

“A Santa Sé acompanha, apoia e encoraja toda iniciativa útil e sincera para construir um futuro melhor, no signo do encontro e da amizade entre os povos”,  havia dito o Papa Francisco ao final da catequese da Audiência Geral de 25 de maio de 2018.

“A todos que têm responsabilidades políticas diretas – acrescentou - peço que tenham a coragem da esperança, fazendo-se ‘artífices’ da paz, enquanto os exorto a prosseguir com confiança o caminho empreendido pelo bem de todos”.

Antes de rezar um Pai Nosso e uma Ave Maria com os fiéis presentes na Praça São Pedro, o Pontífice havia feito votos de que o encontro de cúpula fosse uma ocasião propícia para iniciar um diálogo transparente e um percurso concreto de reconciliação e de fraternidade, a fim de garantir a paz na Península Coreana e no mundo inteiro.”

Ouça e compartilhe!

 

27 abril 2019, 12:00