Vatican News

Acolhida calorosa para Francisco na visita ao Instituto dos Imames

Calorosa acolhida ao Papa Francisco no Instituto Mohammed VI dos Imames, Pregadores e Pregadoras em Rabat. Sem discursos do Pontífice ou do Rei, o encontro foi marcado pela projeção de um vídeo sobre o Marrocos, pelo testemunho de um estaudante europeu e por música.

Gabriella Ceraso - Cidade do Vaticano

Um longo aplauso, com o público em, pé deu as boas-vindas ao Papa Francisco em sua entrada ao lado do rei Mohammed VI, no Instituto que leva o nome do soberano e que é dedicado à formação de imames, pregadores e pregadores, fortemente desejado justamente pelo soberano e inaugurado em 27 de março de 2015. O Papa lá chegou depois de ter proferido seu primeiro discurso oficial e após a visita de cortesia ao Rei no Palácio Real, onde assinou um apelo em favor de Jerusalém.

A narrativa em um vídeo

 

A história, a organização do Instituto com seus objetivos de orientação religiosa e os programas seguidos pelos alunos, foi apresentado em um vídeo, projetado na grande sala com o acompanhamento de músicas e cantos tradicionais.

Na origem, nas intenções do soberano, a preservação dos fundamentos da religião islâmica, a oferta de serviços rituais e educativos de qualidade e uma formação o mais contínua possível. O Instituto também recebe estudantes estrangeiros da Ásia - com pedidos vindos da Tailândia -, da Europa e sobretudo de toda a África - dado este particularmente significativo, como sublinhou em seu testemunho um estudante nigeriano - uma vez que, especialmente na Nigéria, a manipulação por grupos extremistas é forte e envolve os jovens semeando violência.

"Mudar esta situação -  disse ele - requer a educação das pessoas para os ensinamentos ortodoxos do Islã, e é por este motivo que eu queria aprofundar o conhecimento: para ajudar minha comunidade" e convencê-la de que a religião é pela paz e o bem.

Ameaças à autenticidade da religião

 

No fundamento do Instituto, por outro lado, um Islã tolerante que olha para a modernidade em contraste com as tendências radicais e o fundamentalismo que ameaçam a autenticidade da religião, mas também o interesse pelo conhecimento e comparação com as outras duas religiões monoteístas em textos específicos, dedicados a particularidades e aspectos comuns.

O vídeo mostrado ao Papa também fala da grande presença de jovens mulheres, da prática que é adotada na mesquita e das implicações que a formação dos estudantes tem em seus países de origem, como contou em seu testemunho também um jovem estudante de origem francesa. "Na minha volta - disse ele - quero colocar ao serviço do meu país e de todos os seus habitantes todas as diferentes competências que adquiri no Instituto; espero colocar em prática e transmitir esse conhecimento e acima de tudo o espírito da paz e transmiti-lo, de amor, de fraternidade e de tolerância".

No final do vídeo, também a saudação do Ministro dos Assuntos Religiosos, que em seu discurso reiterou não somente a história de conhecimento recíproco entre o papado e o reino do Marrocos, mas também a importância da proteção da religião, que está no coração do soberano. do país e, portanto, de uma formação teórica e prática de qualidade.

Calorosa a saudação final ao Pontífice e ao Rei, com a audiência, repleta de jovens de diferentes origens, em pé junto com o coro e a orquestra, cujas notas concluíram o encontro.

 

30 março 2019, 17:52