Cerca

Vatican News
Encontro do Papa com a Delegação Judaica Americana Encontro do Papa com a Delegação Judaica Americana  (Vatican Media)

Diálogo inter-religioso: ferramenta na luta contra o ódio e o antissemitismo

“Se quisermos um futuro melhor, se sonharmos com um futuro de paz, precisamos dar espaço às mulheres”. São palavras do Papa Francisco no encontro com a Delegação do Comitê Judaico Americano, na manhã desta sexta-feira (08/03)

Manoel Tavares - Cidade do Vaticano

Em sua série de audiências, o Santo Padre recebeu, na manhã desta sexta-feira (08/3), na Sala do Consistório, no Vaticano, uma Delegação de 40 pessoas do Comitê Judaico Americano.

Ouça e compartilhe

Em seu discurso, o Papa recordou os diversos contatos que a organização manteve com os sucessores de Pedro, desde o início do diálogo oficial entre a Igreja Católica e o Judaísmo:

“ O compromisso de vocês com o diálogo católico-judaico tem tantos anos quanto a Declaração “Nostra Aetate”, uma pedra miliar em nosso caminho de redescoberta fraterna. Muito me alegra que, com o tempo, conseguimos manter boas relações e intensificá-las cada vez mais ”

Cultivar estas boas relações fraternas por tanto tempo, afirmou o Papa, é um dom e, ao mesmo tempo, um chamado de Deus. Somos chamados a construir, juntos, uma atmosfera familiar, escolhendo, com todas as nossas forças, o amor divino, que inspira respeito e apreço pela religiosidade de cada um.

Neste sentido, o Santo Padre expressou sua grande preocupação pelo recrudescimento bárbaro, em vários países, de ataques antissemitas. Por isso, reiterou a necessidade de vigiar contra este fenômeno:

“ Reafirmo que, para um cristão, toda forma de antissemitismo representa uma negação das próprias origens, uma contradição absoluta. Devemos fazer como um pai, que, apesar de ver coisas trágicas, jamais se cansa de transmitir aos seus filhos os fundamentos do amor e do respeito. Enfim, devemos olhar o mundo com os olhos das mães, com os olhos da paz ”

Por isso, Francisco sugeriu uma importante ferramenta na luta contra o ódio e o antissemitismo: o diálogo inter-religioso voltado para a promoção do compromisso com a paz, o respeito mútuo, a proteção da vida, a liberdade religiosa, a proteção da criação.

Enfim, disse o Papa, Judeus e cristãos também compartilham de uma rica herança espiritual, que permite fazer, juntos, muitas coisas boas. Diante do secularismo e do abismo da desigualdade entre ricos e pobres, somos chamados a cuidar dos irmãos mais vulneráveis: os pobres, os fracos, os enfermos, as crianças, os idosos.

No nosso serviço à humanidade, assim como em nosso diálogo inter-religioso, os jovens aguardam e sonham com a descoberta de novos ideais. Portanto, o Santo Padre realçou a importância de treinar as gerações futuras no caminho do diálogo judaico-cristão. Este compromisso comum, no campo da educação dos jovens, também é uma ferramenta eficaz para combater a violência e abrir novos caminhos para a paz.

08 março 2019, 11:55