Cerca

Vatican News
Beata Margarita Bays Beata Margarita Bays 

Papa autoriza promulgação de novos decretos

Durante o encontro, o Pontífice autorizou a promulgação de alguns decretos, reconhecendo o milagre por intercessão da Beata Margarita Bays, virgem, da Ordem Terceira de São Francisco de Assis.

Cidade do Vaticano

O Papa Francisco recebeu em audiência, nesta terça-feira (15/01), o prefeito da Congregação das Causas dos Santos, cardeal Angelo Becciu.

Durante o encontro, o Pontífice autorizou a promulgação de alguns decretos, reconhecendo o milagre por intercessão da Beata Margarita Bays, virgem, da Ordem Terceira de São Francisco de Assis, que será canonizada.

Bays nasceu em La Pierraz, perto de Friburgo, na Suíça, em 8 de setembro de 1815. A religiosa foi costureira, dona de casa e catequista. Uma existência simples e não diferente do mundo: apoiou a imprensa católica durante o Kulturkampf, luta política e cultural entre a Igreja católica e Estados alemães.

O evento que mudou radicalmente a religiosa foi o dom dos estigmas. Foi também curada milagrosamente de um câncer no intestino em 8 de dezembro de 1854, enquanto Pio IX proclamava o dogma da Imaculada. Morreu em Siviriez em 27 de junho de 1879 e foi beatificada, em 1995, com duas religiosas suíças, Maria Teresa Scherer e Maria Bernarda Butler.

No território de Friburgo, na Suíça, a Beata Margherita Bays, praticando seu trabalho como costureira, lutou com todo o seu ser pelas necessidades de seu próximo, sem nunca negligenciar a oração.

As novas Beatas

Francisco reconheceu o martírio das Servas de Deus Maria del Carmen, no século Isabella Lacaba Andía e 13 companheiras, religiosas professas da Ordem das Franciscanas Concepcionistas, mortas, por ódio à fé, na Espanha em 1936. Serão beatificadas.

Duas novas Veneráveis Servas de Deus

Além disso, o Papa reconheceu as virtudes heroicas da Serva de Deus Anna Kaworek, co-fundadora da Congregação das Irmãs de São Miguel Arcanjo. Nasceu em Biedrzychowice, na Polônia, em 18 de junho de 1872 e morreu em Miejsce Piastowe (Polônia), em 30 de dezembro de 1936, e da Serva de Deus Maria Soledad Sanjurjo Santos, no século Maria Consolata, religiosa professa da Congregação das Servas de Maria Ministras dos Enfermos. Nasceu em Arecibo, Porto Rico, em 15 de novembro de 1892 e morreu em São João de Porto Rico (Porto Rico) em 23 de abril de 1973.

15 janeiro 2019, 16:20