Cerca

Vatican News
"São pessoas que dão tudo de mãos cheias”, diz Papa sobre consagrados "São pessoas que dão tudo de mãos cheias”, diz Papa sobre consagrados 

A força da vocação conduz entrevista com o Papa e vira livro

A obra terá lançamento internacional simultâneo na próxima segunda-feira, 3 de dezembro. O livro-entrevista intitulado “La fuerza de la vocación. La vida consagrada hoy”, originalmente em espanhol, terá tradução em dez línguas e é fruto de uma conversa de quatro horas com o missionário Fernando Prado.

Andressa Collet – Cidade do Vaticano

Um encontro de quatro horas na Casa Santa Marta, em agosto deste ano, reuniu o Papa Francisco e o missionário espanhol Fernando Prado, diretor editorial das “Publicaciones Claretianas”, de Madri. O fruto dessa conversa rendeu o livro-entrevista intitulado “La fuerza de la vocación. La vida consagrada hoy”, originalmente em espanhol, que terá tradução no mínimo em dez línguas, como no português e, inclusive, em chinês.

Vocação e missão dos consagrados

O lançamento internacional da obra acontece na próxima segunda-feira, 3 de dezembro. São 120 páginas que, através de 60 perguntas ao Papa Francisco, contemplam a força da vocação e a missão dos consagrados, mas também outros temas de atualidade na vida da Igreja. A editora de lançamento italiano (Edizioni Dehoniane) revela um trecho do livro:

“ Penso naqueles padres, naquelas Irmãs, naqueles irmãos que trabalham nas periferias ou no centro das cidades. Naquelas pessoas consagradas que não fazem barulho, mas que trabalham sem se preocupar. Naqueles que fazem a teologia da vida consagrada vivendo-a. São pessoas que têm uma humildade essencial: são trabalhadores que levam muito a sério a vida de consagrados no ensino, nas paróquias, nos hospitais, nas missões e onde quer que se encontrem trabalhando a serviço dos outros. São realmente pessoas que dão tudo de mãos cheias. ”

Papa como grande comunicador

Segundo o missionário, a entrevista aconteceu “num clima de liberdade, confiança e cordialidade” que se deve “ao bom caráter de Francisco”. O Santo Padre fala durante muitas vezes “das suas lembranças, compartilhando histórias concretas e reais que ele viveu e que servem para ilustrar as questões e os temas abordados. Sem dúvida, o Papa é um grande comunicador que responde inclusive a questões mais espinhosas com uma sabedoria, medida e claridade admiráveis”, comentou Prado. Questões que vão desde o clericalismo, a homossexualidade do clero e das pessoas consagradas até questões pontuais e de atualidade da Igreja, e a preocupação do Papa pelo diálogo entre os jovens e idosos.

30 novembro 2018, 19:29