Cerca

Vatican News
Papa Francisco em 7 de julho de 2018 em veneração às relíquias de São Nicolau na cripta da Basílica Papa Francisco em 7 de julho de 2018 em veneração às relíquias de São Nicolau na cripta da Basílica   (Vatican Media)

Carta do Papa no aniversário de elevação da Basílica de São Nicolau de Bari à Basílica Pontifícia

O Papa Francisco enviou neste sábado uma carta ao arcebispo de Bari-Bitonto, Dom Francesco Cacucci, Delegado Pontifício da Basílica de São Nicolau, por ocasião do 50º aniversário da elevação da Basílica de São Nicolau de Bari à Basílica Pontifícia. O cardeal Angelo Becciu preside as cerimônias do evento comemorativo

Manueal Tavares - Cidade do Vaticano

O Papa Francisco enviou uma Carta a Dom Francesco Cacucci, arcebispo de Bari-Bitonto, no sul da Itália, Delegado Pontifício da Basílica de São Nicolau, por ocasião dos 50 anos de criação da Basílica pelo Papa Paulo VI.

Unidade dos cristãos

 

Nos últimos anos, a Basílica de São Nicolau de Bari, ligada à Santa Sé - diz o Papa - comprovou sua vocação peculiar de promotora da unidade dos cristãos. O templo sagrado nutriu uma profunda devoção dos fiéis do Oriente e do Ocidente ao santo Bispo de Mira.

Neste sentido, Francisco dirige seu pensamento a todos os que colaboram, de alguma forma, com as atividades litúrgicas, pastorais, culturais e ecumênicas, de cujos frutos o próprio Papa foi testemunha durante a sua recente visita a Bari, para se encontrar e rezar com os Chefes das Igrejas do Oriente Médio.

Redescoberta da vida espiritual

 

Por isso, o Santo Padre encoraja os que trabalham na pastoral desta histórica e ilustre Basílica de São Nicolau de Bari, em espírito de serviço, colaboração e ardor apostólico, sobretudo em acolher os peregrinos e fiéis que a visitam, onde podem, com confiança, redescobrir a importância da vida espiritual. “A oração tem uma extraordinária força evangelizadora, necessária para a plena comunhão entre os cristãos!”

O Santo Padre faz votos de que este Jubileu de Ouro da Basílica de São Nicolau de Bari, seja também motivo de um interesse renovado de estudo dos eventos históricos da Basílica Papal, da figura de São Nicolau bem como da teologia ecumênica. A reflexão científica, acompanhada pela programação de iniciativas culturais, terá sentido somente com as práticas de piedade, a liturgia e o culto ao Santo, que contribuem, de modo valioso, para as relações ecumênicas entre católicos e ortodoxos.

Ouça e compartilhe!
24 novembro 2018, 14:03