Versão Beta

Cerca

Vatican News

Vídeo-mensagem do Papa a Sínodo Arquidiocesano de Buenos Aires

Sínodo Arquidiocesano: ação, mobilização, caminhar juntos, ouvir, estar em sintonia; atenção com o clericalismo, mundanismo e fofocas. O evento sinodal realiza-se em preparação ao Jubileu dos 400 anos de criação da arquidiocese de Buenos Aires, dedicada à Santíssima Trindade, a serem celebrados em 2020.

Cidade do Vaticano

O Santo Padre enviou uma vídeo-mensagem ao Cardeal-arcebispo de Buenos Aires, Dom Mário Aurélio Poli, por ocasião do Primeiro Sínodo Arquidiocesano, que se realiza entre 2017 a 2019, sobre o tema: “Caminhemos juntos”.

O evento sinodal realiza-se em preparação ao Jubileu dos 400 anos de criação da arquidiocese de Buenos Aires, dedicada à Santíssima Trindade, que serão celebrados em 2020.

Em sua Mensagem ao Cardeal Mário Aurélio Poli, o Papa reconhece seu trabalho de visitar quase todas as paróquias, com as quais teve a oportunidade de conversar. Logo, nota-se certa movimentação! De fato, disse Francisco:

O Sínodo é isto: mobilização, caminho, caminhar juntos, estar em sintonia; em outras palavras, ir ao encontro do outro, que supõe escuta e reflexão. Não é fácil ouvir o outro. Mas, jamais se esqueçam do “apostolado da escuta", que é tão importante!

Durante este caminho sinodal, explica o Papa, a Igreja será abençoada, porque, caminhando e crescendo juntos, atrai sobre si as bênçãos de Deus. No entanto, durante este caminho poderemos encontrar coisas muito boas e não tão boas. Mas, para não ser muito pessimista, Francisco destacou as coisas menos boas, deixando, para o final, as coisas boas, como “sobremesa”:

Eu citaria três dificuldades, que poderão encontrar e superar no caminho sinodal: o clericalismo. Caminhar em assembleia sinodal significa caminhar juntos: comunidade diocesana, paroquial ou colegial, como em uma escola. Todos fazem parte do Povo de Deus. O Padre não deve fazer tudo sozinho, ser o dono de tudo. Isso é puro clericalismo! Atenção: o “clericalismo” é uma perversão no Corpo da Igreja!

Desta forma, afirmou o Papa, o Povo de Deus, que é a Igreja, caminha junto para individuar o que Deus quer, para manifestar a sua fé. Por isso, cuidado com o perigo do clericalismo na Igreja! Aqui, Francisco fala de uma segunda dificuldade, que pode ser encontrada no caminho sinodal: o mundanismo espiritual. E explicou:

Não se vive o Evangelho com critérios mundanos, mas evangélicos, com o coração, com os valores humanos e cristãos, que o Senhor nos deixou! Logo, tenham cuidado também com o “mundanismo”. Jesus pediu ao Pai para seus discípulos: "Não vos peço para tirá-los do mundo, mas para protegê-los do espírito mundano”. Este espírito se infiltra por todos os lugares, vai de moda! Imersos neste mundanismo, mantenham os olhos bem abertos”.

Por isso, Francisco advertiu para o perigo da "colonização ideológica". Toda a América Latina era uma colônia, como a África e a Ásia. Aqui, não se trata de conquistar terras, mas de "colonização ideológica". Eis o perigo do mundanismo! E por fim, o Papa advertiu para um terceiro perigo, que enfraquece as comunidades eclesiais: as fofocas.

A fofoca uma espécie de sarampo que penetra entre as pessoas, é falar mal dos outros. Cuidado! Quantas vezes ouvimos dizer “Aquela mulher é tão boa e vai sempre à igreja, mas é uma fofoqueira”. O único remédio para acabar com este vício é “morder a língua”. Por isso, disse Francisco, durante este percurso sinodal procurem se esforçar para não dizer nenhuma palavra ou comentário que possa rebaixar o outro”.

O Santo Padre concluiu sua vídeo-mensagem pedindo aos fiéis, para que, durante este caminho sinodal, de escuta e reflexão, não caiam na armadilha dos três perigos: clericalismo, mundanismo e fofocas. Pelo contrário, caminhem com o espírito das bem-aventuranças, que dão segurança ao itinerário sinodal. Somente assim o Sínodo da Arquidiocese de Buenos Aires triunfará e produzirá bons frutos!

27 outubro 2018, 21:00