Versão Beta

Cerca

Vatican News
Papa encontrou o episcopado irlandês no Convento das Irmãs Dominicanas, em Dublin Papa encontrou o episcopado irlandês no Convento das Irmãs Dominicanas, em Dublin  (ANSA)

Papa exorta bispos a perseverarem nestes "momentos tão desafiadores"

"Como São João da Cruz nos ensina, é na noite escura que a luz da fé brilha mais pura nos nossos corações. E essa luz mostrará o caminho para a renovação da vida cristã na Irlanda nos anos futuros", recordou o Papa aos prelados.

Jackson Erpen - Cidade do Vaticano

O último compromisso do Papa Francisco em terras irlandesas foi o encontro com o episcopado no Convento das Irmãs Dominicanas. O Pontífice presenteou as religiosas com um quadro com uma cerâmica retratando a “Madonna com il Bambino”. 

Estavam presentes os bispos das quatro Arquidioceses Metropolitanas e 22 Dioceses do Eire e da Irlanda do Norte, e seus quatro auxiliares. O atual presidente é Dom Eamon Martin, arcebispo de Armagh e Primaz de toda a Irlanda.

“Todos nós, como bispos, estamos cientes da nossa responsabilidade de ser pais para o santo povo fiel de Deus” disse Francisco, retomando o diálogo iniciado na visita ad limina Apostolorum, “no espírito do Encontro Mundial das Famílias”:

“ Como bons pais, pretendemos encorajar e inspirar, reconciliar e unir, e sobretudo preservar todo o bem transmitido de geração em geração nesta grande família que é a Igreja na Irlanda ”

Neste sentido, como mesmo diz, sua intenção é encorajar os esforços dos bispos “em momentos tão desafiadores", de perseverar no ministério "de arautos do Evangelho e pastores do rebanho de Cristo”.

O Papa agradece a solicitude dos bispos pelos pobres, excluídos e necessitados, assim como a ajuda aos sacerdotes, “cuja tristeza e desânimo por causa dos recentes escândalos são muitas vezes ignorados”.

“A necessidade que tem a Igreja de reconhecer e remediar, com honestidade evangélica e coragem, os erros do passado relativos à proteção das crianças e adultos vulneráveis”, foi um tema presente nesta viagem, sublinhou o Santo Padre, reconhecendo que nos últimos anos, como “corpo episcopal”, foram seguidos “percursos de purificação e reconciliação com as vítimas dos abusos”, mas também fixando, “com a ajuda do National Board para a tutela das crianças na Igreja na Irlanda, um conjunto rigoroso de normas tendentes a garantir a segurança dos jovens”:

Nestes anos, todos nós tivemos de abrir os olhos para a gravidade e a extensão do abuso sexual em diferentes contextos sociais. Na Irlanda, como noutros lugares, a honestidade e a integridade com que a Igreja decide enfrentar este capítulo doloroso da sua história pode oferecer um exemplo e um apelo a toda a sociedade”.

O Papa recorda que a rápida evolução da sociedade representa um significativo desafio para  “a transmissão da fé na sua integridade e beleza”. Neste sentido, “o Encontro Mundial das Famílias deu-nos grande esperança e encorajamento sobre o fato de que as famílias se vão tornando cada vez mais conscientes do seu papel insubstituível na transmissão da fé”.

“ Ao mesmo tempo, as escolas católicas e os programas de instrução religiosa continuam a desempenhar uma função indispensável para se criar uma cultura de fé e um sentido de discipulado missionário ”

Este fato “representa motivo de cuidado pastoral para todos vós”, pois “a formação religiosa genuína requer professores fiéis e alegres, capazes de formar não só as mentes, mas também os corações para o amor de Cristo e a prática da oração”.

Para tal objetivo, “a preparação de tais professores e a divulgação de programas da formação permanente são essenciais para o futuro da comunidade cristã, na qual um laicado comprometido se sinta cada vez mais chamado a levar a sabedoria e os valores da sua fé aos diversos setores do seu empenho na vida social, política e cultural do país”.

Francisco recorda que por um lado “os transtornos dos últimos anos puseram à prova a fé tradicionalmente forte do povo irlandês”, mas por outro “proporcionaram também a oportunidade para uma renovação interior da Igreja neste país e indicaram novas formas de imaginar a sua vida e missão”.

Que vocês possam com humildade e confiança na graça de Deus – foi sua exortação – “empreender novos caminhos para estes tempos novos”, o que poderá ser feito também inspirando-se no “forte sentido missionário enraizado na alma do vosso povo”. Isso permitirá descobrir caminhos criativos “para testemunhar a verdade do Evangelho e fazer crescer a comunidade dos crentes no amor de Cristo e no zelo pelo crescimento do seu Reino”.

“Sempre que  vós e o vosso povo, vos sentirdes um pequeno rebanho exposto à desafios e dificuldades, não desanimeis”, disse Francisco, recordando o ensinamento de São João da Cruz  de que “é na noite escura que a luz da fé brilha mais pura nos nossos corações. E essa luz mostrará o caminho para a renovação da vida cristã na Irlanda nos anos futuros”.

O Papa por fim, pede que o episcopado continue a “fomentar unidade e fraternidade entre vós e, juntamente com os líderes doutras comunidades cristãs, a trabalhar e rezar fervorosamente pela reconciliação e a paz entre todos os membros da família irlandesa”.

26 agosto 2018, 18:59