Versão Beta

Cerca

Vatican News
Paulo VI foi o primeiro Pontífice a visitar o continente americano Paulo VI foi o primeiro Pontífice a visitar o continente americano  (@L'Osservatore Romano)

Há 50 anos, a primeira visita de um Pontífice à América

O Papa Paulo VI chegou à Colômbia em 22 de agosto de 1968. Em Bogotá ele abriu a II Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e participou do XXXIX Congresso Eucarístico Internacional .

Cidade do Vaticano

Há cinquenta anos, mais exatamente de 22 a 25 de agosto de 1968, o Papa Paulo VI visitava a Colômbia, naquela que foi sua sexta Viagem Apostólica internacional. Era a primeira vez que um Pontífice visitava o continente americano. Em Bogotá participou do XXXIX Congresso Eucarístico Internacional e abriu a II Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano, que teve continuidade em Medellín, até 6 de setembro.

Ordenação 200 sacerdotes e diáconos

 

Após a chegada ao Aeroporto internacional de Bogotá, Paulo VI fez uma visita de cortesia ao presidente Carlos Lleras Restrepo, dirigindo-se a seguir à Catedral, sede do Congresso Eucarístico, para encontrar-se com o clero colombiano. Ali, ordenou 200 entre diáconos e sacerdotes.

"Ó Senhor, faz que compreendamos. Devemos aprender a amar os homens assim. Não nos custará estar ao seu serviço, mas esta será nossa honra, nossa aspiração. Jamais nos sentiremos socialmente separados deles, pelo fato que somos e devemos ser pelo nosso ofício diferente deles. Nós nunca recusaremos ser seus irmãos, amigos, consoladores, educadores, servidores. Nós seremos ricos em sua pobreza; e seremos pobres no meio de suas riquezas. Seremos capazes de entender suas preocupações e transformá-las, não em raiva e violência, mas na energia forte e pacífica de obras construtivas. Valorizemos que o  nosso serviço seja em silêncio e desinteressado; sincero na constância, no amor e no sacrifício; confiantes que a Tua virtude fará com que seja um dia eficaz. Teremos sempre diante e dentro, o espírito da tua Igreja una, santa, católica, peregrina rumo à meta eterna; e levaremos gravada na memória e no coração nossa divisa apostólica "Pro Christo ergo legatione fungimur"", disse em sua homilia.

Missa com os camponeses

 

No dia 23, o Papa Paulo VI discursou na residência do Chefe de Estado, encontrou os jornalistas, os Observadores das Igrejas cristãs, os Representantes da Comunidade Judaica de Bogotá, os membros do Corpo Diplomático acreditado na Colômbia e celebrou uma Missa para os camponeses colombianos.

Na Missa celebrada no campo San José pelo “Dia do Desenvolvimento”, na presença de 300 mil “campesinos”, o Papa voltou a denunciar os desequilíbrios e as injustiças sociais, temas já contidos na Encíclica Populorum Progressio publicada no ano precedente. Montini enfatizou a “afeição preferencial” da Igreja pelos mais pobres, exortando ao mesmo tempo a evitar fazer uso ao recurso da violência para promover as legítimas aspirações da população.

Dia 24, abertura da Conferência do Episcopado

 

No dia 24, o Papa Paulo VI celebrou a Santa Missa na Paróquia de Santa Cecília, abriu a 2ª Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano em Medellín, inaugurou a nova sede do Celam, falou aos organizadores do Congresso Eucarístico, à religiosas, às novas famílias cristãs, ao prefeito e às autoridades de Bogotá.

Na Catedral de Bogotá, onde se realizava o Congresso Eucarístico, Paulo VI abriu os trabalhos da Conferência do Episcopado continental, confiando aos prelados a missão de “favorecer todo honesto esforço para promove a renovação e a elevação dos pobres” e lançando uma clara advertência: “não podemos ser solidários com sistemas e estruturas que cobrem e favorecem graves e opressoras desigualdades entre as classes e os cidadãos de um mesmo país”.

O Pontífice também sublinhou a secularização que ignorava a referência essencial à verdade religiosa, e a oposição – pretendida por alguns – entre a Igreja chamada institucional e a Igreja denominada carismática, evidenciando ainda sua preocupação com os problemas doutrinários que se percebiam no imediato pós-Concílio. Ao insistir na promoção da justiça e da paz, também alertou para a tática do marxismo ateu de provocar a violência e a rebelião sistemática, e de gerar o ódio como instrumento para alcançar a dialética de classes.

A Conferência do Episcopado havia sido convocada pelo próprio Paulo VI para aplicar os ensinamentos do Concílio Vaticano II às necessidades da Igreja presente na América Latina. Com o tema “A Igreja na presente transformação da América Latina à luz do Concílio Vaticano II”, o encontro foi aberto na Catedral de Bogotá pelo próprio Papa Montini, por ocasião do Congresso Eucarístico.

A realização da nova Conferência havia sido proposta ao Pontífice pela presidência do CELAM em 1966, sendo por ele acolhida com satisfação e convocada para se realizar em Medellín de 26 de agosto a 6 de setembro.

Participaram desta Conferência 86 bispos, 45 arcebispos, 6 cardeais, 70 sacerdotes e religiosos, 6 religiosas, 19 leigos e 9 observadores não católicos, presididos por Antônio Cardeal Samoré, presidente da Pontifícia Comissão para a América Latina, e por Dom Avelar Brandão Vilela, arcebispo de Teresina e presidente do CELAM. No total, participaram 137 bispos com direito a voto e 112 delegados e observadores.

O Papa Montini despediu-se do país, fazendo escala em Hamilton, nas Bermudas, antes de retornar a Roma.

(Todos os pronunciamentos de Paulo VI em terras colombianas podem ser consultados no link https://is.gd/ITRhyv)

Visita de Paulo VI à Colômbia

 

22 agosto 2018, 08:23