Versão Beta

Cerca

Vatican News

Pontes de oração pela paz, quatro anos após a iniciativa no Vaticano

Depois de quatro anos do histórico encontro entre o Papa Francisco, e os presidentes de Israel e da Palestina, realizado no Vaticano em 8 de junho de 2014, o Fórum Internacional de Ação Católica propõe a iniciativa “Um minuto pela paz”.

 Cidade do Vaticano

“Para fazer a paz, é preciso coragem, mais do que para fazer a guerra”. Era o dia 8 de junho de 2014, tendo como pano de fundo o majestoso Jardim do Vaticano, e poucas semanas antes da sua peregrinação à terra Santa. Na ocasião, Papa Francisco convidou os presidentes Shimon Peres e Mahmoud Abbas para pedir-lhes o dom da paz entre o povo israelense e o palestino. Depois de um encontro privado na Casa Santa Marta, a iniciativa “Invocar pela paz” foi realizada com a presença das respectivas delegações e do Patriarca Ecumênico Bartolomeu I.

“É preciso coragem para dizer sim ao encontro e não ao confronto”

“Um minuto pela paz”

Passaram quatro anos daquele histórico encontro e o fervor e as esperanças de paz, mesmo não sendo mantidos pelos fatos, não perderam o vigor. O Fórum internacional de Ação Católica propõe a iniciativa “Um minuto pela paz” às 13 horas de 8 de junho, ou seja, dedicar um minuto para invocar o dom da paz, infelizmente ainda não concretizada e ameaçada em várias partes do mundo. A iniziativa do FIAC é compartilhada com a União Mundial das Organizações de Mulheres Católicas (UMOFC), a Ação Católica Italiana e a Ação Católica argentina e também a Comissão Nacional de Justiça e Paz da Conferência Episcopal da Argentina. Os organizadores querem recordar na oração quatro situações de conflitos e dificuldades, em países membros ou observadores do FIAC que não recebem a devida atenção: Colômbia, Myanmar, Ucrânia e Burundi. O convite para esta iniciativa foi redigido em mais de trinta línguas, do árabe ao coreano, do swahili ao guarani, do chinês ao búlgaro. “A nossa intenção é  contar com o maior número possível de pessoas – sublinha a Vatican News Maria Grazia Tibaldi, coordenadora da secretaria do FIAC – para uma maior consciência de paz”.

O poder da oração

A oração, continua Maria Grazia Tibaldi, “dá a força necessária para resistir onde se vive”, “para sentir a solidariedade dos próprios irmãos na fé, mas também de muitas pessoas que sabem que a paz é fruto da justiça e, portanto, requer a contribuição de todos e o testemunho concreto no dia a dia”. “A oração não é evasão, mas dá força para tentar mudar a realidade a partir de dentro sabendo que não se está sozinho”.

Pontes de oração para Bari

Em resposta ao convite do Pontífice, as organizações promotoras de “Um minuto pela paz” garantem o próprio empenho pela oração incessante em preparação ao encontro ecumênico de 7 de julho em Bari, desejado pelo Papa Francisco para refletir e rezar juntos pela situação dramática no Oriente Médio. “O objetivo é o de criar uma ponte de oração para Bari – acrescentou a coordenadora da secretaria do FIAC – e estamos contentes com a especial participação neste ano dos jovens reunidos no Panamá que estão preparando a Jornada Mundial da Juventude. Os leigos estão na primeira linha na construção da paz, mas esta tarefa é confiada principalmente aos jovens”.

 

08 junho 2018, 10:48