Versão Beta

Cerca

Vatican News
Papa na Sala Clementina com membros do Fórum das Famílias Papa na Sala Clementina com membros do Fórum das Famílias  (Vatican Media)

Papa: o amor entre homem e mulher os tornam cooperadores do Criador

"O nosso mundo, muitas vezes, tentado e guiado por lógicas individualistas e egoístas, leva, quase sempre, a perder o sentido e a beleza das uniões estáveis. Por isso, torna-se difícil entender o valor da família", disse o Papa à Delegação do Fórum da Família.

Manuel Tavares – Cidade do Vaticano

O Papa Francisco concluiu sua série de audiências na manhã deste sábado, 16, recebendo na Sala Clementina uma Delegação de 150 membros das Associações Familiares, fundadas há 25 anos, que compreende mais de 500 centros de comunhão e força de partilha. Trata-se, disse, de uma “família de famílias”, que busca viver juntos na alegria e no bem comum.

O "fator familiar" constitui um "elemento de avaliação política e operacional, multiplicador da riqueza humana, econômica e social", diz o Papa, no texto foi entregue, tendo preferido falar de improviso, tocando em temas de várias naturezas.

Antes de tudo, ele reitera que a família é uma só, à imagem de Deus, a união entre um homem e uma mulher. E que, para continuar este elo de ligação ao longo do tempo, é preciso paciência, acima de tudo, diante de uma traição.

Ouça e compartilhe!

Entre os tópicos abordados, também o do aborto e da abertura à vida, que é sempre preciosa e inviolável. Com brincadeiras e histórias pessoais, o Papa Bergoglio não esquece de analisar a relação entre pais e filhos, muitas vezes penalizada pela urgência do trabalho ou pela falta do mesmo.

“A família que, em vários modos vocês promovem, está ao centro do projeto de Deus, segundo a história da salvação”, afirmou.

“Por um misterioso desígnio divino, a complementariedade e o amor, entre o homem e a mulher, os tornam cooperadores do Criador, que lhes confia a tarefa de gerar novas criaturas, dando-lhes assistência no crescimento e na educação”.

A família, sagrada e indissolúvel, afirmou Francisco, é berço da vida e primeiro lugar da acolhida e do amor. Ela tem um papel essencial na vocação do homem, é uma janela que se abre para o mistério do Amor, na unidade e Trindade de Deus. E recordou no texto:

O nosso mundo, muitas vezes, tentado e guiado por lógicas individualistas e egoístas, leva, quase sempre, a perder o sentido e a beleza das uniões estáveis. Por isso, torna-se difícil entender o valor da família. O apoio às famílias e a sua valorização depende de uma incansável obra de sensibilização e diálogo: eis o objetivo do seu Fórum, através de inúmeras iniciativas, em colaboração com as Instituições”.

Por isso, o Santo Padre animou as Associações Familiares a dar testemunho da alegria do amor, recordado no documento pós-sinodal sobre a família.

Por fim, o Papa agradeceu à Delegação pelo seu compromisso “em participar, de modo ativo e responsável, da vida das famílias, em ambiente cultural, social, escolar e político e os incentivou a promover políticas para sustentar o crescimento da natalidade, apesar da pobreza e da falta de assistência familiar.

 


 

16 junho 2018, 14:35