Versão Beta

Cerca

VaticanNews
Papa em Nomadélfia Papa em Nomadélfia 

Papa visita comunidade inspirada nos Atos dos Apóstolos

“Uma realidade profética que se propõe a realizar uma nova civilização, atuando o Evangelho como forma de vida boa e bontia”. Dessa maneira o Papa Francisco definiu a Comunidade Nomadélfia fundada por padre Zeno Saltini.

Silvonei José - Cidade do Vaticano

Dia na Toscana para o Papa Francisco, que chegou a Nomadélfia, província de Grosseto para prestar homenagem à figura de padre Zeno Saltini e encontrar a comunidade fundada por ele. A seguir, o pontífice foi para Loppiano, província de Florença, para visitar a cidadela internacional do Movimento dos Focolares.

Acolhido em Nomadélfia por Dom Rodolfo Cetoloni, bispo de Grosseto, pelo padre Ferdinando Neri, sucessor de padre Zeno e por Francesco Matterazzo, presidente da Comunidade, o Papa Francisco se dirigiu de “papamóvel” ao cemitério local, e na entrada, depois de ouvir a gravação de um trecho do testamento de padre Zeno, deteve-se em oração diante do seu túmulo e colocou uma pedra com seu nome, que se acrescenta às pedras deixadas pelos habitantes de Nomadélfia.

Ouça a reportagem

Deixando o cemitério, o Papa passou diante dos túmulos dos primeiros membros da Comunidade. Em seguida se transferiu de carro para o "Poggetto". Ali se encontrou com o núcleo familiar da Comunidade, visitou a casa central e a Capelinha dentro da qual confiou a duas famílias duas crianças acolhidas com a fórmula utilizada na Comunidade.

Depois, Francisco se dirigiu ao Salão "Don Zeno" para o encontro com a Comunidade. No caminho levou com ele no “papamóvel” uma criança da comunidade. Após o discurso de saudação do Presidente Francesco Matterazzo, e um momento de celebração dos jovens, com a apresentação de cantos e danças, o Papa faz seu discurso.

Forma de vida boa e bonita

“Uma realidade profética que se propõe a realizar uma nova civilização, atuando o Evangelho como forma de vida boa e bonita”. Dessa maneira o Papa Francisco definiu a Comunidade fundada por padre Zeno Saltini.

“O seu Fundador dedicou-se com ardor apostólico a preparar o terreno para a semente do Evangelho, para que pudesse dar frutos de vida nova”, sublinhou o Pontífice. “Crescido nos campos das férteis planícies da região da Emilia, ele sabia que quando chega o momento adequado, é hora de colocar  a mão no arado e preparar a terra para a semeadura”.

Comunidade inspirada nos Atos dos Apóstolos

O Papa observou: “a lei da fraternidade, que caracteriza a vida de vocês, foi o sonho e o objetivo de toda a existência de padre Zeno, que desejava uma comunidade de vida inspirada no modelo descrito nos Atos dos Apóstolos: 'A multidão daqueles que se tornaram crentes, tinha um só coração e uma só alma e ninguém considerava como sua propriedade o que lhe pertencia, mas entre eles tudo era em comum'. Peço-lhes para continuar este estilo de vida, confiando na força do Evangelho, através do seu límpido testemunho cristão”.

Vocês, disse ainda Francisco fazem parte de uma comunidade que tem “uma peculiar forma de sociedade, onde não há espaço para o isolamento ou a solidão, mas onde está em vigor o princípio da colaboração entre diversas famílias, onde os membros se reconhecem irmãos na fé”.

Aqui, observou o Pontífice, “se estabelecem laços muito mais sólidos do que aqueles de parentesco. Este especial vínculo de consanguinidade e de familiaridade também é manifestado pelas relações mútuas entre as pessoas: todos são chamados pelo nome, nunca pelo sobrenome; e nos relacionamentos cotidianos se usa o confidencial 'você'.

Sinal profético

O Papa Francisco, em seguida, enfatizou “outro sinal profético e de grande humanidade de Nomadélfia: trata-se da atenção amorosa para com os idosos que, mesmo quando não gozam de boa saúde, permanecem na família e são apoiados pelos irmãos e irmãs de toda a comunidade”.

O pontífice exortou “a continuar neste caminho, encarnando o modelo de amor fraterno, também através de obras e sinais visíveis, nos muitos contextos onde a caridade evangélica chama vocês, mas sempre conservando o espírito de padre Zeno, que queria um Nomadélfia 'leve' e essencial em suas estruturas”.

Por isso, o convite do Papa: “Diante de um mundo às vezes hostil aos ideais pregados por Cristo, não hesitem em responder com o testemunho alegre e sereno de sua vida, inspirado pelo Evangelho”.

Na conclusão de sua visita a Nomadélfia, ainda no Salão "Don Zeno", o Papa Francisco recebeu vários presentes dos membros da comunidade.

Os presentes

As crianças da pré-escola deram-lhe uma pedra branca com o seu nome escrito encima. Os adolescentes e os jovens deram ao Papa o livro realizado com fotos e desenhos, que percorrem a história de Nomadélfia.

Os postulantes, aqueles que fazem o caminho de discernimento para se tornarem membros de 'Nomadélfi', deram ao Papa uma cópia do livro de fotos: "Padre Zeno 100 Anos". A coleção de imagens realizada por grandes fotógrafos italianos ou por desconhecidos foi publicada no ano 2000, centenário do nascimento de padre Zeno.

O último presente ao Pontífice foi ainda um livro com uma série de meditações, cartas e discursos sobre alguns temas: o amor pela Igreja, o sacerdócio em Nomadelfia, a santidade e a história de Nomadélfia. O título, tirado de uma meditação de padre Zeno, também indica um compromisso: "Sempre ‘unum’ com o Papa, estreitos ao Papa como a Cristo”.

“Muito obrigado - disse o Papa antes de partir em direção a Loppiano, segunda etapa de sua breve viagem pela Toscana -, pela acolhida, pelos presentes, que são de família: é muito importante, são presentes que vêm do coração, da família, simples, mas ricos de significado. Muito obrigado, obrigado pela acolhida, pela alegria de vocês. E continuem assim”.

Photogallery

Nomadélfia
10 maio 2018, 10:12