Versão Beta

Cerca

Vatican News

Urna com corpo do Papa João XXIII parte em peregrinação

Cardeal Angelo Comastri, Arcipreste da Basílica de São Pedro, presidiu nesta quinta-feira, dia 24 de maio, uma cerimônia de envio da urna com corpo do Papa João XXIII que seguiu para o sua cidade na diocese de Bergamo.

Pe Arnaldo Rodrigues - Cidade do Vaticano

Pela segunda vez na historia o corpo de um Papa deixa a Basílica de São Pedro. Depois de São Pio X, o Papa Venziano, foi a vez do São João XXIII deixar o Vaticano para estar com o povo da diocese de Bergamo, onde exerceu seu ministério por 40 anos, especificamente na cidade de Sotto il Monte, onde nasceu no dia 25 de novembro de 1881. A urna com seu corpo estará com o povo que gerou este pontífice que tanto fez pela a Igreja e pelo mundo. “Se começa da terra onde nasci e depois se prossegue até o céu.” Esta frase do próprio santo marca os 60 anos de sua eleição como Papa.

Os dezoitos dias de peregrinação com o corpo do santo, começou com uma celebração feita pelo Cardeal Angelo Comastri, arcipreste da Basilica de São Pedro, do lugar onde a urna foi transferida em 2001, ano da beatificação, na Gruta Vaticana. Será uma longa peregrinação de devoção em diferentes etapas, tudo para dar a oportunidade àqueles fieis que querem viver momentos de oração e veneração. A primeira parada será na prisão de Via Gleno, em memória da sua visita aos detentos de Regina Coeli, após, é prevista a visita ao seminário e às 21h a urna será solenemente recebida na catedral para uma vigília de oração.

Na despedida da Basílica de São Pedro, o Cardeal Comastri pronunciou a seguinte mensagem:

Estamos reunidos aqui em oração para entregar ao Bispo de Bergamo a urna contendo os restos do venerado de São João XXIII, que retornam à terra de suas origens. E, em particular, retornam a cidade de Sotto il Monte onde, quando criança, o futuro Pontífice exprimiu a fé no belo exemplo de seus pais.

De fato, foi ele quem disse: "Minha casa estava cheia de Deus!" E, nesta peregrinação, ele lembra das gerações de hoje, para que possam redescobrir o fervor da fé do passado. Parece-me sublinhar que, em tantos séculos de história, é apenas a segunda vez que os restos de um santo pontífice saem da Basílica de San Pietro.

A primeira vez ocorreu em 1959 (de 12 de abril a 10 de maio) quando, por decisão de João XXIII, o caixão contendo os restos mortais de São Pio X partiu para Veneza. João XXIII, de fato, lembrou que em 1903, deixando Veneza para chegar a Roma para o Conclave, o então cardeal Giuseppe Sarto foi saudado por uma grande multidão de venezianos na estação ferroviária. Todos disseram a ele:

“ Eminência, volte! Prometa: Eminência, volte! "O Patriarca, em um momento de forte emoção, gritou:" Eu prometo a você! Ou vivo ou morto, eu voltarei ". Ele não poderia voltar vivo, porque ele foi eleito papa. ”

João XXIII, seu sucessor em Veneza, quis manter sua promessa e decidiu a incomum peregrinação do falecido Pontífice a Veneza: esse detalhe revela a delicadeza de espírito de João XXIII.
Hoje, João XXIII faz a peregrinação de gratidão e bênção para a terra onde nasceu, onde se tornou cristão e desenvolveu uma vocação para o sacerdócio.

Acompanhamos este momento significativo recordando uma afirmação de João XXIII. Ele disse: "A educação que deixa os traços mais profundos é aquela que é recebida em casa, na família. Esqueci muitas coisas que aprendi sobre os livros, mas lembro perfeitamente dos ensinamentos e exemplos de meus pais e dos meus antigos. É por isso que eu amo Sotto il Monte e estou feliz por voltar todos os anos. Ambiente simples, mas cheio de exemplos sagrados e preciosos ensinamentos ».

Que esta peregrinação, que começa neste momento, sintonize nosso coração com o coração deste santo pontífice que todos amavam a tal ponto que, por ocasião de sua santa morte, um jornalista exclamou: "Se o Papa João existiu, Deus também existe." Possam dizer também o mesmo sobre cada um de nós.
 

24 maio 2018, 13:54