Versão Beta

Cerca

VaticanNews

João Paulo II e João XXIII: proclamados santos 4 anos atrás

No domingo da Divina Misericórdia de 2014, Papa Francisco canonizou João Paulo II, “o Papa da família”, e João XXIII, “o Papa da docilidade ao Espírito”. Na missa celebrada na Praça São Pedro, que contava com a presença do Papa emérito Bento XVI, participaram mais de 500 mil fiéis vindos de todas as partes do mundo.

Cidade do Vaticano

Papa Francisco celebrou em 27 de abril de 2014 a santa missa de canonização de João Paulo II e João XXIII, os Pontífices amados pela Igreja e pelo povo de Deus. No domingo da Divina Misericórdia, instituído pelo Papa Wojtyla, a Praça São Pedro contava também com a presença do Papa emérito Bento XVI. Na fachada da Basílica estavam expostas as imagens dos dois santos Pontífices, “sacerdotes, bispos e Papas do século XX”. O milagre reconhecido a João Paulo II é a cura de uma grave lesão cerebral de uma mulher, Floribhet Mora, acontecida em primeiro de maio de 2011, dia da sua beatificação. Para João XXIII foi uma canonização “Pro gratia”, sem um milagre certificado.

Corajosos em tocar as chagas de Cristo

Durante a homilia, Papa Francisco recordou que ambos “tiveram a coragem de contemplar as feridas de Jesus, tocar as suas mãos chagadas e o seu lado trespassado”, reconhecendo-o na carne do irmão. “Foram – explica – dois homens corajosos, cheio da parresia do Espírito Santo, e deram testemunho da bondade de Deus, da sua misericórdia, à Igreja e ao mundo”.

O Papa da docilidade ao Espírito e o Papa da família

“Na convocação do Concílio – afirma Papa Francisco - São João XXIII demonstrou uma delicada docilidade ao Espírito Santo, deixou-se conduzir e foi para a Igreja um pastor, um guia-guiado, guiado pelo Espírito. Este foi o seu grande serviço à Igreja; por isso gosto de pensar nele como o Papa da docilidade ao Espírito Santo”. “Neste serviço ao Povo de Deus, São João Paulo II – acrescentou - foi o Papa da família”.

 

Palavras do Papa Francisco no vídeo do Vatican News:

“Não esqueçamos que são precisamente os santos que levam avante e fazem crescer a Igreja. E que estes dois novos santos Pastores do Povo de Deus, nos ensinem a não nos escandalizarmos das chagas de Cristo, a penetrarmos no mistério da misericórdia divina que sempre espera, sempre perdoa, porque sempre ama”.

27 abril 2018, 10:28