Busca

Vatican News
Ônibus miitar em Damasco, vítima de atentato Ônibus miitar em Damasco, vítima de atentato 

Síria, ataque a ônibus militar em Damasco: pelo menos 13 mortos

Duas bombas foram detonadas nesta manhã de quinta-feira contra um veículo que transportava soldados na zona central de Jisr al-Rais, durante a hora de pico de tráfego. Uma terceira, que não explodiu, foi desativada pelo esquadrão anti-bombas. Ninguém reivindicou a responsabilidade pelo ataque; o ministro do Interior sírio disse: "Continuaremos a perseguir os terroristas". Outros ataques no dia de ontem.

Salvatore Cernuzio, Silvonei José – Vatican News

Pelo menos 13 pessoas foram mortas e outras três feridas na manhã desta quinta-feira (21/10) em Damasco num ataque terrorista levado a cabo com duas bombas contra um ônibus do exército sírio. Foi o que relatou a agência de notícias estatal Sana, sublinhando que é um dos ataques mais sangrentos dos últimos anos no país, onde parece haver um recrudescimento da violência.

Ouça e compartilhe

Impacto devastador

As imagens divulgadas pela agência de notícias mostram um ônibus em chamas na ponte Raiss, na capital, e um esquadrão anti-bombas trabalhando para desativar uma terceira bomba que tinha sido colocada na área. Segundo as reconstruções iniciais, os dispositivos tinham sido colocados no interior do ônibus carregado com soldados e explodiram por volta das 6h45 enquanto o veículo passava pela área central de Jisr al-Rais. O impacto da explosão, que ocorreu durante a hora de ponta do trânsito, foi devastador.

"Um ato covarde"

Os responsáveis pelo atentado ainda são desconhecidos, embora o Isis tenha atingido veículos do exército na Síria Oriental de forma semelhante em várias ocasiões este ano. Damasco tinha sido em grande parte poupada de tais ataques nos últimos anos, especialmente desde que o exército e milícias aliadas reconquistaram o último grande reduto rebelde perto da capital em 2018.

"Um ato covarde", segundo o ministro do Interior da Síria, Mohammad al-Rahmoun, que disse à televisão local que "o ataque ocorreu depois de eliminar o terrorismo da maior parte do território nacional. "Eles queriam atingir o maior número possível de cidadãos", explicou, acrescentando que "vamos continuar a perseguir os terroristas que cometeram este crime hediondo onde quer que estejam".

Outros episódios de violência

O ataque é o mais grave em Damasco desde que as forças governamentais assumiram o controle dos subúrbios anteriormente dominados pelos rebeldes. Este não é o único episódio de violência registado na Síria nas últimas horas. Nesta quarta-feira, houve notícias de uma série de explosões na base Al-Tanf, na fronteira entre o Iraque e a Jordânia, utilizadas pela coligação anti-ISIS pelos Estados Unidos. Também ontem, três crianças e um professor foram mortos a caminho da escola em Ariha, no noroeste do país, como resultado de uma série de ataques aéreos na província de Idlib. Save the Children and Hurras Network, parceiros de organizações no país, confirmaram isso, explicando que os ataques mataram pelo menos dez pessoas, incluindo três crianças - duas de 12 e uma de 16 anos - e um professor de 28 anos, enquanto caminhavam ao longo de uma estrada que conduzia a seis diversas escolas. Pelo menos 40 outras pessoas ficaram feridas.

21 outubro 2021, 13:03