Busca

Vatican News

Etiópia. “Nunca é tarde demais para deter a violência”, afirmam os bispos

"Nunca é tarde demais para deter a violência, o único caminho aceitável, para o bem do povo, é a paz e a reconciliação, para atender às exigências da verdade e da justiça, para pedir e conceder o perdão, restaurar a confiança mútua, reconhecer os outros como nossos irmãos e irmãs, não importa quem sejam, e quão profundas sejam nossas discordâncias, e para resolver quaisquer diferenças através do diálogo e da negociação." Os sofrimentos da população do Tigray estão no centro da atenção dos bispos

Vatican News

Ouça a reportagem e compartilhe!

"Entristece nossos corações ouvir falar de guerra quando todos nós gostaríamos de ouvir falar de paz e reconciliação", afirma a Conferência Episcopal Católica Etíope (CBCE) em uma declaração publicada ao término de sua Assembleia ordinária, referindo-se ao conflito na região do Tigray.

"O horror da guerra não é nem um remédio para os erros nem uma solução para uma crise. A guerra traz sofrimentos indizíveis e o preço pago pelos inocentes é incalculável", dizem os bispos da nação do Chifre da África, que apelam ao diálogo.

A angústia e a dor dessas pessoas são nossas também

"Nunca é tarde demais para deter a violência, o único caminho aceitável, para o bem do povo, é a paz e a reconciliação, para atender às exigências da verdade e da justiça, para pedir e conceder o perdão, restaurar a confiança mútua, reconhecer os outros como nossos irmãos e irmãs, não importa quem sejam, e quão profundas sejam nossas discordâncias, e para resolver quaisquer diferenças através do diálogo e da negociação."

As numerosas vítimas civis, os deslocados e os sofrimentos da população da região estão no centro da atenção da Conferência episcopal. "Como Pastores, não podemos deixar de sentir a angústia e a dor pela qual as pessoas estão passando. Nós nos identificamos com elas e a angústia delas é nossa angústia."

Ninguém seja esquecido ou excluído

Os bispos agradecem "às pessoas que trabalharam incansavelmente para aliviar o sofrimento da população" e pedem que as ajudas continuem a chegar para que "ninguém seja esquecido ou excluído".

Em particular, fazem um apelo urgente às autoridades para permitir o acesso irrestrito às ajudas humanitárias. Mais de 400 mil pessoas no Tigray estão sofrendo a fome, enquanto cerca de 4 milhões de pessoas entre os estados de Tigray, Amhara e Afar (onde o conflito se espalhou recentemente) estão precisando de alguma forma de ajuda alimentar.

Orações por dom Medhin, que sofre junto com seu povo

A Assembleia ordinária, realizada de 13 a 16 de julho no Centro de Espiritualidade dos Padres da Consolata, em Modjo, reuniu os bispos de todas as dioceses, exceto dom Tesfassilasie Medhin, da Eparquia de Adigrat, na Etiópia, que está na zona de guerra do Tigray.

Os participantes fizeram orações especiais por dom Medhin, que não participa da assembleia "há um ano, por causa da guerra no Tigray, e sofre junto com seu povo", e rezaram pelo clero, religiosos e religiosas e todos os fiéis católicos afetados pela guerra e pela consequente crise humanitária.

(com Fides)

27 julho 2021, 13:46