Busca

Vatican News
Refugiados de Burkina Faso recebem ajuda nas escolas lassalistas Refugiados de Burkina Faso recebem ajuda nas escolas lassalistas 

Burkina Faso: escolas lassalistas acolhem estudantes refugiados após o massacre

Dos 3.300 novos deslocados internos no país, que fogem da violência dos terroristas islâmicos que massacraram 138 homens, mulheres e crianças na aldeia de Solhan, muitos estão encontrando ajuda nos institutos dos Irmãos das Escolas Cristãs, que incluem nas suas classes os estudantes refugiados. O visitador Irmão Diarra: "Os terroristas lutam contra a educação, mas sem escolas nosso futuro está em jogo".

Alessandro Di Bussolo – Vatican News

O ataque terrorista ocorrido no nordeste de Burkina Faso duas semanas atrás na aldeia de Solhan, causou a morte de 138 homens, mulheres e crianças e deixou mais de 40 feridos. Outra consequência, foi o aumento do número de pessoas forçadas a abandonar suas casas para chegar a vilarejos mais seguros no sul do país. Os novos deslocados internos que deixaram as áreas mais perigosas desde o massacre são mais de 3.300. A ONG das escolas lassalistas chamada "Associação dos Irmãos das Escolas Cristãs" (Afec), criada em Burkina Faso há três anos, continua a apoiar os deslocados internos e as muitas famílias que os hospedam e a acolher os estudantes refugiados em suas escolas, mas a possibilidade de acolher novos estudantes agora é muito limitada.

Ouça e compartilhe!

Novas salas de aula para estudantes em fuga

O Irmão Julien Diarra, 51 anos, burquinabês, Visitador-Provincial do distrito da África Ocidental (que também inclui Níger) dos Irmãos das Escolas Cristãs conta ao Vatican News como está a situação no país. Ele fala que atualmente prepararam planos para construir novas salas de aula, "para aumentar a capacidade de nossas escolas situadas em áreas com problemas de segurança". Mas precisamos, nos diz, da generosidade dos benfeitores. Em seguida fala sobre a situação depois do último, terrível, ataque dos jihadistas ligados à Al Qaeda e ao Estado islâmico.

“Burkina Faso é um país multi-religioso e multiétnico, outrora conhecido por sua coesão social, sua lendária hospitalidade e seus habitantes alegres. Muitos casais burquinabêses são inter-religiosos e interétnicos. Ou seja, a população vivia em tolerância e paz. Mas desde 2015, nosso país sofre repetidos ataques terroristas, causando muitas vítimas (civis e militares), deslocamento maciço de populações, fechamento de escolas e centros de saúde, assim como estruturas administrativas. A tragédia de Solhan é o ataque mais sangrento que o país já viu, com 138 mortos e cerca de 40 feridos. Este enésimo ataque trouxe desolação às famílias, agravou a crise humanitária, traumatizou as populações sobreviventes e espalhou psicose por todo o país, o que não ajuda na resiliência. As áreas mais afetadas são o norte, o leste e o noroeste do país”.

Refugiados nas escolas lassalistas de Burkina
Refugiados nas escolas lassalistas de Burkina

Quais são as consequências desses ataques para a estabilidade do país e da população?

Os ataques terroristas causaram uma crise humanitária sem precedentes em Burkina Faso, com uma estimativa de 1.218.754 deslocados internos feita pela agência da ONU para os Refugiados ACNUR. Causou também o fechamento de 2.227 escolas, privando cerca de 303.000 crianças de educação, e ao fechamento de 76 centros de saúde e ao funcionamento mínimo de outros 245 centros de saúde, privando cerca de 822.000 pessoas do sistema de saúde. A isto se soma o trauma dos sobreviventes e a psicose generalizada, além do fato de que quase todas as regiões de Burkina Faso foram colocadas na "lista negra" por governos estrangeiros, que desaconselham fortemente a vinda ao nosso país.

Qual é o compromisso da obra dos lassalistas para ajudar o povo?

Nossa missão como Lassalistas é de uma educação integral e de qualidade. Nos últimos três anos, nossa ONG chamada "Associação de Irmãos das Escolas Cristãs" (Afec) tem apoiado pessoas deslocadas internamente e famílias anfitriãs, fornecendo-lhes assistência psicológica, alimentos, materiais e produtos de higiene, materiais para dormir, bolsas de estudo para crianças e bolsas de formação para jovens e mulheres. Nossas diversas escolas e centros de formação, especialmente as localizados em áreas com grandes problemas de segurança, acolhem estudantes deslocados que atendemos integralmente.

Refugiados nas escolas lassalistas de Burkina
Refugiados nas escolas lassalistas de Burkina

Toda essa assistência humanitária é possível graças à generosidade de nossos parceiros da rede “Lasallian International”, aos quais expressamos nossos agradecimentos. Os terroristas, em nome de sua ideologia, lutam contra a educação. Sem a educação dos jovens, o futuro do país inteiro está em jogo. O desafio para nós é, portanto, continuar a oferecer às crianças e aos jovens uma educação de qualidade. Entretanto, diante do afluxo maciço de estudantes deslocados, nossa capacidade para acomodá-los chegou ao limite. É por isso que desenvolvemos um projeto de construção de novas salas de aula para aumentar a capacidade de nossas escolas localizadas em áreas com graves problemas de segurança. Esperamos que este projeto seja sustentado por nossos benfeitores.

18 junho 2021, 11:43