Busca

Vatican News

Paraguai. Aumentam os protestos pela má gestão da pandemia, apelo dos bispos

São intensos os protestos em todo o país iniciados 5 de março, durante os quais as pessoas têm se manifestado nas ruas contestando as políticas do governo para enfrentar a pandemia e a crescente corrupção, pedindo a renúncia do Presidente Mario Abdo. Também tem havido fortes protestos sobre a campanha de vacinação, mantendo o Paraguai atrás dos outros países no combate à crise pandêmica no continente. "A posição da Igreja é de invocar constantemente a paz", diz o secretário geral da Conferência Episcopal do Paraguai, dom Benítez

Vatican News

Ouça a reportagem e com partilhe

Milhares de paraguaios protestam nas ruas há dias em todo o país, com confrontos violentos com a polícia, para exigir a renúncia do presidente Mario Abdo Benítez, acusado de má administração do governo em relação à saúde e à crise econômica resultante da pandemia do coronavírus. A onda de protestos teve início na sexta-feira, 5 de março, e continua ainda hoje.

A posição da Igreja é de invocar constantemente a paz

"A Igreja não pode tomar uma posição a favor ou contra o impeachment do Presidente da República. A posição da Igreja é de invocar constantemente a paz", disse o bispo da Diocese de Benjamín Aceval e secretário geral da Conferência Episcopal do Paraguai, dom Amancio Benítez.

Na terça-feira (16/03), o bispo de Villarrica e presidente da Conferência Episcopal do Paraguai (CEP), dom Adalberto Martínez Flores, ressaltou o apelo contido em uma mensagem divulgada no sábado, 13 de março.

Solidários em fazer o bem, evitando o pior

"A primeira boa ação é seguir as indicações de saúde", lê-se na mensagem, em segundo lugar, "na emergência atual é claro que todos nós devemos ser solidários para fazer o bem, evitando o pior".

A mensagem foi divulgada ao término de uma semana muito difícil: por um lado, há os crescentes contágios do coronavírus (enquanto a primeira onda atingiu o Paraguai de forma menor que outros países): o balanço total é de mais de 188 mil infectados e mais de 3.700 vítimas.

Protestos em todo o país contra o governo de Abdo Benítez

Por outro lado, têm sido muito intensos os protestos em todo o país iniciados 5 de março, durante os quais as pessoas têm se manifestado nas ruas contestando as políticas do governo para enfrentar a pandemia e a crescente corrupção, pedindo a renúncia do presidente Mario Abdo.

“Também tem havido fortes protestos sobre a campanha de vacinação, mantendo o Paraguai atrás dos outros países no combate à crise pandêmica no continente. O Presidente, ao confirmar sua intenção de continuar no cargo, fez um grande remanejamento do governo.”

Ademais, de acordo com as últimas notícias difundidas pela mídia local, o Presidente culpa a OMS (Organização Mundial da Saúde) por ainda não ter recebido o lote de vacinas para seu país.

Papa: preocupação com notícias que chegam do Paraguai

Nesta quarta-feira (17/03), ao término da audiência geral, realizada na Biblioteca do Palácio Apostólico, no Vaticano, o Papa Francisco manifestou sua preocupação com as notícias que chegam do Paraguai.

O Pontífice pediu "um caminho de diálogo sincero para encontrar soluções adequadas às dificuldades atuais" no país, além de rejeitar todo e qualquer tipo de violência, com a qual "nada se ganha, mas muito se perde, e às vezes tudo”, enfatizou o Santo Padre.

(com Fides)

19 março 2021, 09:56