Busca

Vatican News
Papa Francisco com o primeiro-ministro iraquiano Al-Kadini no Aeroporto Internacional de Bagdá Papa Francisco com o primeiro-ministro iraquiano Al-Kadini no Aeroporto Internacional de Bagdá 

Iraque: propostas surgidas durante visita do Papa são analisadas por Comitê governamental

Na recente visita ao Iraque o Papa Francisco discursou às autoridades do país e manteve encontros privados com o presidente Barham Salih e o premier Mustafa al Kadhimi.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

Um comitê interministerial foi encarregado pelo governo iraquiano para trabalhar na implementação das sugestões e propostas surgidas durante a recente visita do Papa Francisco ao país. A notícia foi publicada pelo jornal árabe Al Araby Al Jadeed, citando de forma genérica e anônima "fontes de alto nível" do governo iraquiano.

As "recomendações" contidas no dossiê que estão no centro do trabalho do Comitê governamental - relata a fonte citada, referindo-se também às conversas do Papa Francisco com o presidente iraquiano Barham Salih e com o premier Mustafa al Kadhimi - visam sugerir soluções para os problemas de segurança, sustentabilidade econômica e reconstrução pós-guerra que pesam em particular na condição das comunidades cristãs e em outros componentes sociais, especialmente nas Províncias de Nínive e Bagdá.

A fonte governamental citada pelo jornal com sede no Reino Unido refere-se, em particular, a problemas relativos à segurança e atribuídos à persistência de milícias organizadas com base confessional que ainda operam no Governatorato de Nínive e na Planície com o mesmo nome, uma área de raízes históricas das comunidades cristãs autóctones.

 

Do dossiê que está sendo estudado pelo Comitê governamental, também faria parte a questão dos imóveis subtraídos ilegalmente nos últimos anos de famílias cristãs, forçadas por conflitos e violência a se mudar para outras áreas do país ou mesmo a emigrar para o exterior.

No início de 2021, conforme referido pela Agência Fides, o líder xiita iraquiano Muqtada al Sadr (à frente do grupo político sadrista com forte representação no Parlamento de Bagdá) ordenou a criação de um Comissão ad hoc, encarregada de recolher e apurar notícias e denúncias de casos de desapropriação ilegal de bens imóveis, sofridos nos últimos anos por proprietários cristãos em várias regiões do país.

A intenção da operação patrocinada pelo líder xiita – diz uma declaração - é restaurar a justiça, pondo fim às violações que afetavam os direitos de propriedade dos "irmãos cristãos", mesmo quando cometidas por membros do próprio movimento sadrista. O pedido de denúncia dos casos de desapropriações ilegais sofridas também foi estendido às famílias de cristãos que deixaram o país nos últimos anos, com o pedido de enviar à comissão até o final do próximo Ramadã os relatórios das usurpações fraudulentas sofridas.

O sacerdote Albert Hisham, da assessoria de comunicação do Patriarcado Caldeu, entrevistado por Al Araby Al-Jadeed, informou que até o momento nenhuma informação precisa e oficial foi fornecida sobre a restituição aos legítimos proprietários de bens subtraídos ilegalmente de famílias cristãs iraquianas, e quaisquer procedimentos e disposições implementadas a este respeito pelo governo de Bagdá ainda não foram divulgados.

Com Agência Fides

31 março 2021, 15:43