Busca

Vatican News
Forças da MINUSCA diante da catedral em Bangassou Forças da MINUSCA diante da catedral em Bangassou   (AFP or licensors)

"Uma calmaria tensa" reina em Bangassou (RCA), relata bispo

No domingo, 3 de janeiro, rebeldes assumiram o controle de Bangassou, no leste da República Centro-Africana. O bispo da cidade, Dom Juan José Aguirre Muñoz, disse que a maioria da população fugiu para o vizinho Congo e houve saques. Nesta segunda-feira, a situação aparentava calmaria.

Xavier Sartre – Vatican News

São 5h30 da manhã quando o fogo de artilharia ressoa em Bangassou, a principal cidade da parte oriental da República Centro-Africana. Os rebeldes do 3R e do FPRC que "convergiram desde uma semana", estão lançando um ataque contra cidade, conta o bispo Juan José Aguirre Muñoz, bispo da cidade. “Muitos dos rebeldes são mercenários e gente do Níger”.

A base das FACA (Forças Armadas da África Central) é atacada. Os Capacetes Azuis da MINUSCA, a Missão das Nações Unidas na República Centro-Africana, os apoiam sem tomar parte nos combates.

Cinco horas depois, "as FACA, as forças policiais e os serviços penitenciários" encontram refúgio na base da MINUSCA, relata o bispo, que desde então tem mantido contato regular com os soldados de paz, mas não sabe o que planejam fazer nas próximas horas ou dias.

Como resultado desses combates, "parte da população de Bangassou fugiu para o Congo", continua Dom Aguirre. Civis cruzaram o rio Mbomou para buscar refúgio na cidade de Ndu, do outro lado da fronteira. “A cidade está quase deserta agora. A noite correu bem. Não houve tiroteios”.

Futuro incerto

 

“Há somente os bandidos, os ladrões da cidade de Bangassou que saquearam algumas lojas. No momento está muito calmo. Talvez os rebeldes queiram entender quem será o próximo governo e não queiram machucar as pessoas por enquanto”, pondera. Sem saber se amanhã ainda será o caso, admite. Os primeiros resultados da eleição presidencial de 27 de dezembro seriam divulgados na segunda-feira.

Há vinte e quatro horas “vivemos numa calma tensa”, confessa o bispo de Bangassou, com a esperança de que a situação não se degenere e que os moradores possam voltar para casa rapidamente. Também tenhamos que esperar para saber o que pretendem fazer as FACA e a MINUSCA, entrincheirados a oito quilômetros do centro, perto do aeroporto, em sua base.

De acordo com um relatório divulgado pelas forças de paz, os combates de domingo causaram a morte de "cinco elementos armados" sem dar mais detalhes. Os Médicos Sem Fronteiras disseram que cerca de 15 pessoas ficaram feridas.

04 janeiro 2021, 13:17