Busca

A história
Vatican News

"Descubra quem fez o pacote": presentes de Natal inspirados na Laudato si’

Graças ao “Projeto Policoro” e ao Departamento de Comunicação Social da Diocese de Oppido Mamertina-Palmi, no sul da Itália, nasceu uma iniciativa que visa promover atividades artesanais e empresariais no território, inspirada nas exortações da Encíclica do Papa Francisco.

Asia Galvani* - Veneza

"Oferecer apoio a algumas empresas, profissionais liberais e associações que criam oportunidades de trabalho digno e solidário é a nossa resposta concreta ao que indica a Laudato si’ em termos de pastoral social e do trabalho e cuidado do nosso território". Foi assim que Adriana Raso, líder comunitária do “Projeto Policoro” da Diocese de Oppido Mamertina-Palmi, resumiu a iniciativa "Descubra quem fez o pacote", uma série de produtos locais disponibilizados em uma caixa como presente de Natal ou para comprar em apoio às empresas do território.

A proposta, divulgada e apoiada pelo Departamento de Comunicação Social da Diocese da Calábria, no sul da Itália, permitiu aos diversos órgãos envolvidos de testemunhar o quanto, com gestos cotidianos, se possa colocar a serviço do bem comum e das pessoas frágeis que, de outra forma, correriam o risco de não ter acesso a um trabalho decente.

O laboratório de cosméticos da cooperativa “I.d.e.a.”
O laboratório de cosméticos da cooperativa “I.d.e.a.”

O trabalho que nos torna melhores

A cooperativa "I.d.e.a.” (Intenção de divertir e agregar) foi fundada em 2008 com o objetivo de oferecer a menores em situações difíceis, oportunidades de trabalho capazes de acompanhá-los em um percurso de crescimento. O terreno fértil que deu origem a essa atividade empresarial é a Congregação dos Filhos da Imaculada que tem, na comunidade Luigi Monti de Polistena (em Reggio Calabria), um ponto de acolhimento para crianças de 6 a 21 anos de idade, através de várias realidades que constituem uma verdadeira aldeia educacional.

"Acolhemos os jovens que nos foram confiados pelos serviços sociais ou pelo Centro de Justiça Juvenil”, explica o Irmão Stefano Caria, presidente da cooperativa, “e criamos um ambiente de trabalho adequado, um laboratório de cosméticos. Tentamos fazer com que os jovens compreendam que trabalhar bem, seguir um horário, respeitar as indicações é importante não só para que se possa obter um produto de qualidade, mas também pela própria realização pessoal. Vimos as crianças melhorarem, também fisicamente, depois de terem empreendido essa experiência de trabalho. Quando entendem que têm habilidades que não conheciam antes, se realizam e mudam. Às vezes é difícil engatar com o trabalho, permanecer firme nos objetivos das crianças, mas isto é o que sempre nos propusemos fazer e a Laudato si’ e o Papa Francisco nos dão a contribuição nesse sentido".

Os jovens trabalhadores da cooperativa produzem por conta de terceiros uma série de cosméticos derivados do precioso azeite de oliva da Piana di Gioia Tauro. As propriedades benéficas da matéria-prima tornam possível criar produtos artesanais que têm a sua maior força na qualidade. No pacote organizado pelo ‘Projeto Policoro’ de Oppido Mamertina-Palmi, confirma Valentina Varamo, responsável do laboratório de cosméticos, “a cooperativa 'I.d.e.a.' contribuiu com derivados do azeite: um frasco de sabonete líquido, um creme para o corpo, um shampoo e um sabonete".

Um tear dos "Artesãos da Caridade"
Um tear dos "Artesãos da Caridade"

A escola dos mestres do tear

"Ninguém faz por mérito próprio, mas somente pela graça de Deus. A graça de Deus deve ser transmitida e dada aos outros." É assim que Giovanna Arfuso, artesã de uma família que trabalha no tear desde 1700, explica o seu desejo de entregar às gerações futuras a antiga arte do tecer. O amor pelo artesanato foi transmitido a ela por sua avó que observava trabalhar, enquanto ela brincava entre os fios entrelaçados quando criança.

Giovanna conta que, através dos seus próprios olhos de criança, via "a máquina de tear como um jogo a ser flutuado na água": agora ela o maneja com precisão e experiência tecendo inúmeros fios no antigo instrumento recuperado e restaurado. Uma máquina que, movido por um sábio acordo de gestos de mãos e pés, se transforma quase em um órgão de uma catedral, graças ao domínio e harmonia dos gestos da tecelã.

"Somos chamados de 'Artesãos da Caridade'”, explica Giovanna, “porque tudo o que usamos é resultado de doações. Restauramos teares antigos, em vez de jogá-los fora, justamente para combater a cultura do descarte. Dentro do pacote de Natal, organizado pelos representantes do ‘Projeto Policoro’ da diocese participamos inserindo uma bolsa de pano tecida por nós, um objeto simples, adequado a todos, que também tem um impacto favorável para a preservação da Criação".

O compromisso deste grupo de artesãos tem oferecido, até hoje, perspectivas concretas de trabalho a vários jovens da região e tem ajudado a prosperar uma arte enraizada no território que vai fortalecer aquele sentido de identidade original que a Laudato si’ nos convida a manter.

 Filippo Andreacchio e Nadia Macrì entrevistam Vincenzo Barilà
Filippo Andreacchio e Nadia Macrì entrevistam Vincenzo Barilà

A comunicação do projeto

A diocese de Oppido Mamertina-Palmi também contribuiu para tornar essa iniciativa conhecida. "Sempre tivemos, também em nível pessoal”, relata Filippo Andreacchio, diretor do Departamento de Comunicação da diocese, “atenção para os projetos locais que permitem oferecer trabalho a pessoas desfavorecidas ou a criar novas oportunidades de crescimento. A novidade, neste caso, foi a de poder reunir na mesma caixa uma série de produtos artesanais que nos permitem concretizar algumas das atenções que Laudato si’ nos indicou: o trabalho digno e honesto remunerado, a valorização dos produtos da terra e do território e o convite a combater a cultura do descarte. O nosso bispo, dom Francesco Milito, sempre manifesta grande atenção por todas as oportunidades, não só essa em particular, que permitem aos jovens, acima de tudo, se realizarem pessoalmente e serem capazes de contribuir para o bem comum com o seu trabalho".

Um bem que, justamente graças a oportunidades como essa, pode se espalhar por uma comunidade mais ampla, como confirma o jovem produtor de cerveja artesanal, Vincenzo Barilà: "a atividade empresarial é fundamental porque também oferece trabalho a outras pessoas e não somente a si mesmo".

Os designers gráficos responsáveis pela comunicação do projeto "Descubra quem fez o pacote" criaram o logotipo, uma animação sobre os objetivos da iniciativa adequada para a difusão das mídias sociais e uma página de notícias que pode ser acessada a partir do site diocesano: www.oppido-palmi.chiesacattolica.it.

*Cube Radio - Instituto Universitário Salesiano de Veneza e Verona

22 dezembro 2020, 08:00