Busca

Vatican News

Bispos europeus: idosos, dom e recurso da sociedade, não à marginalização

“Os idosos são um dom e um recurso, não podem ser vistos como separados das comunidades”, lê-se na reflexão em que exortam: “Transformemos a crise da Covid-19 numa oportunidade para uma mudança de paradigma e para regenerar nossa maneira de pensar sobre as pessoas em idade avançada.” O documento ressalta que “os idosos são parte integrante da família, uma fonte de apoio e de encorajamento para a geração mais jovem”. Portanto, “não podem ser separados da sociedade e dos laços relacionais, pois não são apenas “pessoas vulneráveis”, mas também “atores dinâmicos na vida social”

Vatican News

Ouça e compartilhe

Valorizar e promover os idosos, tornando-os “atores dinâmicos no seio das comunidades”: é o que pede a Comissão das Conferências Episcopais da Comunidade Europeia (Comece), que, juntamente com a Federação das Associações católicas da família (Fafce), elaborou um documento específico sobre o tema “Os idosos e o futuro da Europa: solidariedade intergeracional e assistência em tempos de mudança demográfica”.

A reflexão, explica uma nota, “vem após a publicação do Relatório da Comissão Europeia sobre as mudanças demográficas e quer ser também uma contribuição para o próximo ‘Livro Verde sobre o envelhecimento’, cuja publicação está prevista para 2021”.

Não apenas vulneráveis, mas "atores dinâmicos na vida social"

“Os idosos são um dom e um recurso, não podem ser vistos como separados das comunidades”, lê-se na reflexão da Comissão das Conferências Episcopais da Comunidade Europeia e da Federação das Associações católicas da família, cujos membros reiteram:

“Transformemos a crise da Covid-19 numa oportunidade para uma mudança de paradigma e para regenerar nossa maneira de pensar sobre as pessoas em idade avançada.”

Com 14 páginas e dividido em três partes, mais uma introdução e algumas recomendações finais, o documento ressalta que “os idosos são parte integrante da família, uma fonte de apoio e de encorajamento para a geração mais jovem”. Portanto, “não podem ser separados da sociedade e dos laços relacionais, pois não são apenas “pessoas vulneráveis”, mas também “atores dinâmicos na vida social”.

Além disso – explicam os dois organismos católicos –, desde que a emergência sanitária do coronavírus revelou “as vulnerabilidades escondidas em nossas sociedades”, os idosos têm sido frequentemente relegados “às margens da vida cotidiana”.

Proteção, promoção e inclusão dos idosos

Portanto, agora “chegou o momento de reconhecer seu papel crucial, protegendo-os, promovendo-os e incluindo-os, garantindo assim sua plena participação no seio de nossas comunidades”.

 

Em seguida, dirigindo-se aos governos nacionais, o documento conjunto recomenda que eles “utilizem os recursos do 'Plano de Recuperação da União Europeia' para investir em políticas demográficas e familiares, relações intergeracionais e novas estruturas de solidariedade, incluindo a assistência informal, o voluntariado e os ambientes urbanos apropriados ao ancião”.

Por fim, lembramos que a reflexão da Comissão das Conferências Episcopais da Comunidade Europeia e da Federação das Associações católicas da família servirá como um “ponto de partida para uma discussão mais aprofundada sobre o tema, que também incluirá um webinar programado para 2021”.

Vatican News – IP/RL

03 dezembro 2020, 13:44