Busca

Vatican News
Navarro Valls foi porta-voz de João Paulo II de 1984 até a morte do Papa Wojtyła, em 2005 Navarro Valls foi porta-voz de João Paulo II de 1984 até a morte do Papa Wojtyła, em 2005  (Grzegorz Galazka)

Universidade de Roma oferece bolsa de estudo em memória a Navarro-Valls

Há 3 anos da morte do espanhol Joaquín Navarro-Valls, por mais de 20 anos porta-voz de João Paulo II, a Universidade Campus Bio-Medico abre seleção para uma bolsa de estudo em Roma. O percurso acadêmico em nível de doutorado será dedicado ao homem e ao ambiente, com direcionamento especial ao combate à Covid-19, e o objetivo de estudar e desenvolver um modelo de assistência à saúde 4.0.

Giada Aquilino – Vatican News

Ouça a reportagem e compartilhe

Considerado um “grande comunicador” junto a um médico “comprometido aos valores da formação e da pesquisa em favor do homem e do ambiente”. Assim era Joaquín Navarro-Valls, ex-diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, descrito por Paolo Arullani, presidente da Biomedical University Foundation, uma fundação da Universidade Campus Bio-Medico, de Roma.

Por mais de 20 anos Navarro Valls foi porta-voz de João Paulo II, de 1984 até a morte do Papa Wojtyła em 2005, e também trabalhou junto a Bento XVI – deixando o cargo da Sala de Imprensa em 2006. Agora, em sua memória e há três anos da sua morte (5 de julho de 2017), quando era presidente do Conselho Consultivo da universidade romana, nasce uma iniciativa junto à Fundação Tim dedicada ao homem e ao ambiente, com direcionamento especial ao combate à Covid-19.

A bolsa de estudo em PhD

Uma bolsa de estudo vai financiar o novo doutorado em Ciências e Engenharia pelo Homem e o Ambiente com o objetivo de desenvolver um modelo de assistência à saúde 4.0 que, através das tecnologias de informação e da comunicação, possa melhorar o processo de prevenção e tratamento dos pacientes infectados por condições crônicas complexas, com particular referência às pessoas com coronavírus e outras doenças respiratórias.

O projeto dará ênfase aos aspectos humano e ambiental e nasce realmente da experiência desenvolvida junto a Joaquín Navarro-Valls, explica ao Vatican News, Paolo Arullani, que trabalhou junto ao ex-diretor da Sala de Imprensa por 12 anos:

Paolo – “Eu o vi se ocupar da Universidade Campus Bio-Medico, onde trabalhávamos juntos, justamente para aumentar o interesse dos nossos estudantes, da nossa equipe de profissionais da saúde – e não somente da área médica –, sobre essas temáticas do homem e do ambiente. Esse interesse comum cresceu junto à sua experiência profissional: ele foi o primeiro presidente da Fundação Tim e aceitamos a proposta da própria fundação de financiar uma bolsa de estudos justamente nesse âmbito.”

De crescimento à desenvolvimento

Ao recordar da figura de Navarro-Valls, Paolo enfatiza a amizade com “uma pessoa muito humana, de grande simpatia e com espírito crítico”. Além disso, era um homem que muitas vezes “estava disposto a renunciar as suas ideias”, e outras tantas gostava de propor as suas “pequenas, mas determinadas mudanças”:

Paolo – “Recordo os conceitos de ‘desenvolvimento’ e ‘crescimento’. Eu usava, em modo limitado, o termo de crescimento: crescimento do Campus, crescimento da fundação. Um dia ele me fez notar que não se tratava de crescimento, mas de desenvolvimento. E eu entendi como, usando um outro termo, mudava todo o contexto. Então, o grande comunicador também se via nas pequenas coisas.”

A benevolência em época de pandemia

Em se tratando de outro termo, o da benevolência, o presidente Paolo explica a motivação de lançar o projeto da bolsa de estudos em memória a Navarro-Valls, que parte justamente das origens da fundação. Na época, o ex-diretor da Sala da Imprensa usou o termo específico da bondade para desenvolver o sentido de generosidade ao levar adiante a cultura, a assistência à saúde e os valores ligados à prevenção e ao tratamento:

Paolo –E a benevolência me parece estar de volta em primeiro lugar nesta pandemia: como juntos nos infectamos, porque é assim que acontece, juntos podemos nos salvar, juntos podemos nos proteger. Sou médico e dou o exemplo do simples uso da máscara: a máscara, especialmente se cirúrgica, é mais para proteger os outros do que a si mesmo. Esse é o conceito de benevolência: é um presente para o doador, porque se é mais feliz ao dar alguma coisa nossa aos outros. Tudo isso eu acho que pode expressar quem era Navarro-Valls: uma pessoa concreta e muito atenta aos outros. Assim, com este modelo de bolsa de doutorado que a Fundação Tim está fazendo com o Campus, pensamos que através da tecnologia, da informação e da comunicação podemos formar pessoas em novos modelos de assistência à saúde, pela prevenção e tratamento, particularmente diante de pandemias." 

“Hoje temos esta forma de pandemia, que ainda nos preocupa muito, e não sabemos se no futuro - e é possível - haverá outras, mas agora não estamos mais sozinhos, mas juntos.”

Todos os detalhes sobre a seleção você encontra aqui: Bolsa de Estudo em memória a Navarro-Valls.

06 julho 2020, 10:57