Busca

Vatican News

Incêndio florestal em Portugal: a proximidade do bispo a moradores de 3 cidades afetadas

O governo emitiu estado de alerta para todo o país para esta terça-feira (28) para que as equipes dos bombeiros, policiais e serviços de emergência médica fiquem em prontidão. O fogo, que começou ainda no sábado (25), em Oleiros, pode ter consumido 6 mil hectares de florestas e já fez uma vítima fatal de 21 anos. A exortação de Dom Antonino Dias para que fiéis se unam em oração.

Vatican News

Ouça a reportagem e compartilhe

Mais um verão atingido pelo fogo em Portugal. São 800 os bombeiros e 14 os Candairs (também conhecidos como Scooper, um avião de combate a incêndios) que ainda estão se ocupando para domar as chamas na região central de Castelo Branco, a 200 quilômetros de Lisboa. O fogo começou no sábado (25) à noite em Oleiros e se espalhou pelos territórios de dois municípios vizinhos: Proença-a-Nova e Sertã.

O governo emitiu estado de alerta para todo o país para esta terça-feira (28) para que as equipes dos bombeiros, policiais e serviços de emergência médica fiquem em prontidão. O risco de incêndio é alto em grande parte de Portugal porque as temperaturas estão chegando aos 37º C em alguns pontos.

A proximidade da Igreja

Um jovem bombeiro de 21 anos de idade, Diogo Dias, perdeu a vida em um acidente rodoviário enquanto combatia as chamas e outras 7 pessoas ficaram feridas. Aos familiares da vítima vieram as condolências do bispo de Portalegre-Castelo Branco, dom Antonino Dias. Em mensagem lida durante a missa dominical na paróquia de Oleiros, o prelado expressou profunda tristeza pela desgraça dos incêndios que, mais uma vez, "tragicamente" atingiram o território da diocese, exortando os fiéis a se unirem em oração a "Deus que, em Cristo, se revelou próximo em cada experiência humana, especialmente na experiência da dor e do sofrimento".

Na mensagem, como relata a agência de notícias Ecclesia, dom Dias falou "de um flagelo constante que mata, causa sofrimento e angústia". Quanta dor para a população, ainda afirmou o bispo, “quanto sofrimento, aflição, desânimo e quanto mais pobreza a curto e longo prazo".

O prelado expressou, então, a solidariedade da diocese aos prefeitos, conselhos paroquiais e aos habitantes dos três municípios afetados, além da "proximidade e gratidão" às comunidades católicas locais que trabalham generosamente no campo. Enfim, o desejo de uma rápida recuperação para os outros bombeiros feridos durante as operações de extinção.

Os incêndios de 2017 em Portugal

Segundo declarações à imprensa de um comandante do Corpo de Bombeiros de Castelo Branco, Luis Belo Costa, a estimativa é que o incêndio no local possa ter consumido cerca de 6 mil hectares de florestas. Esta não é a primeira vez que Portugal é atingido por incêndios. Em 2017, 114 pessoas morreram em consequência dos incêndios no país.

Vatican News - LZ

28 julho 2020, 09:34