Busca

Vatican News
Crianças do Iêmen, as vítimas inocentes da guerra civil Crianças do Iêmen, as vítimas inocentes da guerra civil  (AFP or licensors)

Iêmen: 10 crianças mortas por ataques aéreos nos últimos 4 dias

Os ataques aéreos na província de Al Jawf dos últimos quatro dias causaram a morte de 10 crianças e sete civis adultos. Segundo "Save the Children" as agressões não estão assinaladas no Relatório Anual da ONU sobre Crianças e Conflitos Armados. Nos últimos seis meses os ataques aéreos da coalizão Arábia Saudita e Emirados aumentaram 139%, em confronto a 2019

Vatican News

Nos últimos quatro dias (hoje 16/07) os ataques aéreos ao Iêmen da coalizão Arábia Saudita e Emirados Árabes na província de Al Jawf causaram a morte de 10 crianças e sete civis adultos. “A notícia de que as crianças são a maioria das vítimas civis nestes quatro dias nos deixa horrorizados. No Iêmen as crianças estão pagando com suas vidas por uma guerra na qual não têm nenhuma culpa, isso está dilacerando famílias enquanto os ataques aéreos continuam a atingir civis indiscriminadamente. É incompreensível como em um momento em que o país deveria se concentrar no combate à pandemia, os ataques aéreos até aumentem". São palavras de Xavier Joubert, Diretor do Save the Children no Iêmen, a organização humanitária que há mais de 100 anos luta pela vida das crianças e para garantir-lhes um futuro.

139% ataques a mais do que no ano passado

Os ataques deste mês confirmam uma escalada da violência no Iêmen que, de acordo com o “Yemen Data Project”, triplicou o número de vítimas civis desde maio passado. Nos primeiros 6 meses de 2020 houve um aumento de 139%, em comparação com os últimos 6 meses de 2019, da frequência dos bombardeios da coalizão.

Fora do Relatório Anual da ONU sobre Crianças e Conflitos Armados

A escalada da violência nas últimas semanas chega depois que o Secretário Geral da ONU não incluiu a coalizão liderada pela Arábia Saudita e pelos Emirados no Relatório Anual sobre Crianças e Conflitos Armados, apesar de todas as graves violações cometidas contra crianças no Iêmen em 2019.

"Estes ataques ameaçam diretamente não apenas a vida das crianças, mas também o trabalho humanitário de salvar vidas e os esforços para combater a pandemia do coronavírus, que, como muitos profissionais da saúde apontam, está se espalhando sem controle e sem nenhum teste. Rogamos a todas as partes envolvidas e à comunidade internacional para que atenuem o conflito e trabalhem para uma solução política nesta maior crise humanitária do mundo, que é o Iêmen”.

16 julho 2020, 12:15