Busca

Vatican News
Igreja ortodoxa Igreja ortodoxa 

Rússia: Patriarca Kirill dá sinal verde para a reabertura das igrejas em Moscou

As igrejas ortodoxas da capital foram fechadas no dia 13 de abril por recomendação das autoridades sanitárias e com a aprovação do Patriarca, após o aumento do contágio no país que causou numerosas vítimas na Igreja Ortodoxa, em particular nos mosteiros e em Moscou.

Lisa Zengarini – Vatican News

Com a benção do patriarca ortodoxo Kirill, as igrejas de Moscou reabrirão as suas portas aos fiéis no dia 6 de junho, véspera do Domingo da Santíssima Trindade, após quase dois meses de fechamento devido à emergência do coronavírus. No dia 2 de junho - informa a agência russa Interfax -, já reabriu a Catedral de Cristo Salvador da capital e a de Teofania em Yelokhovo. A decisão foi tomada após consulta ao prefeito da cidade, Sergey Sobyanin, e à chefe do Serviço Federal Russo de Proteção ao Consumidor e Saúde Pública (Rospotrebnadzor), Anna Popova. A reabertura será realizada de acordo com todas as medidas de segurança indicadas pelo Rospotrebnadzor, começando pelo distanciamento social. 

Ouça e compartilhe

As igrejas ortodoxas da capital foram fechadas no dia 13 de abril por recomendação das autoridades sanitárias e com a aprovação do Patriarca, após o aumento do contágio no país que causou numerosas vítimas na Igreja Ortodoxa, em particular nos mosteiros e em Moscou. Isto também porque, especialmente na fase inicial da pandemia, muitas medidas preventivas não foram respeitadas. Mesmo após o início do confinamento, vários membros do clero ortodoxo não respeitaram a quarentena, a ponto de forçar o patriarca Kirill a escrever no final de abril aos sacerdotes, monges, superiores e abades para exigir a observância das restrições e, posteriormente, também para suspender alguns religiosos obstinados.

O Patriarcado, entretanto, tomou várias medidas para apoiar o crescente número de sacerdotes em dificuldades financeiras, suspendendo as demissões de empregados paroquiais e apoiando em particular as viúvas dos sacerdotes que morreram devido ao vírus. Outras iniciativas visam apoiar estruturas de saúde e assistenciais ligadas à Igreja Ortodoxa, e mais comprometidas com o atendimento aos doentes da Covid-19.

 

04 junho 2020, 09:03